ORIGEM DA FAMÍLIA GURGEL DO AMARAL / AMARAL GURGEL

ORMUZ BARBALHO SIMONETTI (*)

Em 1595, chegou ao Brasil o corsário francês TOUS-SAINT GURGEL, capitaneando algumas naus, com o propósito de realizar contrabando de madeira de lei, principalmente o pau brasil. Nessa época ainda havia lutas de portugueses com franceses que se refugiaram em Cabo Frio, remanescentes do sonho de Nicolas Duran de Villeganion, em fundar em território brasileiro, mais precisamente onde hoje se localiza a cidade do Rio de Janeiro, a sonhada França Antártica. Essa região havia sido escolhida porque era habitada pelos temidos índios Tamoios e Tupinambás, que eram evitados pelos portugueses devido a sua ferocidade e hostilidade.
Nascido em Alsácia, a leste da França, junto às fronteiras da Alemanha e da Suíça, Tous-Saint era filho de pai alemão da Baviera e mãe francesa. Era homem letrado, pois havia estudado no Liceu do Strasbourg, em París. Em Saint Malo, na Normandia Francesa, concluiu o curso de Hidrografia e Ciências Náuticas.
No vigor de seus 25 anos de idade, e com grande experiência no comando de navios, visto já ter navegado por todo o Mediterrâneo, desembarcou na região de Cabo Frio onde esperava ganhar dinheiro fácil, negociando com traficantes franceses e holandeses que habitavam aquela região e oportunamente realizando pilhagem em outras embarcações que por ali navegavam.
Pouco tempo depois de sua chegada a Cabo Frio, o corsário teve que enfrentar forças enviadas pelo então governador do Rio de Janeiro, Salvador Correia de Sá, sob o comando do coronel João Pereira de Souza Botafogo, encarregado de desalojar os franceses daquela região. Travou-se uma feroz batalha que culminou com a prisão de Tous-Saint Gurgel, que a frente de marinheiros franceses e alguns tamoios, lutaram até o fim. Com um número bastante inferior de homens e armas, logo foi feito prisioneiro, não obstante ter lutado com toda bravura, despertando admiração e simpatia do Coronal Botafogo, que logo se afeiçoou aquele valente aventureiro.
Trazido para o Rio de Janeiro, ficou encarcerado por algum tempo, e com a ajuda do seu captor, que gozava de grande prestigio junto ao Governador, conseguiu ficar na cidade do Rio de Janeiro por menagem. Tempos depois conseguiu a liberação de suas naus e tripulantes, aprisionados juntos com ele em Cabo Frio, e passa a dedicar-se a pesca de baleias na baía da Guanabara.
O cetáceo, muito freqüente nos meses frios, era capturado com facilidade e sua carne vendida no comércio local. O azeite as barbatanas e a gordura exportados para o Reino, rendiam um bom dinheiro nas terras d’além-mar. Sempre contando com a proteção do Coronel Botafogo, participou de diversos negócios, ganhando bastante dinheiro, e em pouco tempo torna-se um homem muito rico.
Em janeiro de 1598 casou-se com a brasileira, Domingas de Arão Amaral filha do casal lusitano D. Antônio Diogo do Amaral e Micaela de Jesus Arão. Nascia naquela ocasião, e posteriormente através de seus descendentes, a família “Gurgel do Amaral” ou “Amaral Gurgel”. Tiveram oito filhos sendo sete filhas e um varão, nascidos e registrados na Sé, entre 1607 e 1619.
A primeira filha do casal chamava-se Maria do Amaral Gurgel (1607/1671) que casou-se duas vezes. A primeira com Antônio Ramalho e tiveram cinco filhos. Em segundas núpcias, casou com Diogo da Fonseca e foram pais de quatro filhos sendo dois homens que se tronaram padres e duas mulheres.
O segundo filho chamava-se Francisco do Amaral Gurgel que tornou-se religioso e ordenando-se padre. Era comum nas famílias mais abastarda da época a escolha de um dos filhos para seguir a carreira religiosa. Nasceu em 1610 e faleceu em 17.09.1654, na cidade do Rio de Janeiro.
A terceira filha do casal, Isabel do Amaral Gurgel, nasceu no Rio de Janeiro em 1613. Casou-se com Claudie Antoine Besançon, nove anos mais moço que ela, nascido na França, em 1604. Não temos registro de filhos do casal.
Ângela do Amaral Gurgel (1616/1695), a quarta filha do casal, casou-se com o português Capitão João Batista Jordão. O casal teve sete filhos entre os quais Cláudio Gurgel do Amaral, que se ordenou padre depois que ficou viúvo e já com bastante idade.
A quinta filha do casal, Barbara Amaral Gurgel, nascida em 1617, casou-se com João Nogueira e tiveram diversos filhos, entre eles um chamado Bartolomeu.
Já a sexta filha do casal, Antônia do Amaral Gurgel, nascida em 1619, casou-se duas vezes: a primeira com João de Azevedo Roxas e tiveram cinco filhos, entre eles um padre de nome Francisco do Amaral Roxas. Em segundas núpcias, casa-se com o capitão Antônio Rodrigues Tourinho. Não temos registro de filhos desse casal.
E a sétima filha, Méssia do Amaral Gurgel, falecida em 1687, casou-se com José Nunes da Silva e tiveram quatro filhos entre eles o frei Antônio de Santa Clara. E por última, Domingas do Amaral Gurgel que faleceu em tenra idade.
Quando morreu em 1651, já viúvo, aos 84 anos de idade, além dos filhos, netos e bisnetos gerados a partir de sua esposa Domingas de Arão do Amaral, deixou também vários descendentes mestiços, nascidos de suas constantes viagens pelo interior, onde passava várias semanas caçando e pescando, sempre acompanhado por amigos, escravos e índios mansos. Por ocasião de sua morte, os descendentes do seu casamento já somavam mais de uma centena e se espalhavam pelos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia.


(*) Ormuz (foto ao lado) é presidente do Instituto Norte-Rio-Grandense de Genealogia e membro do IHGRN e da UBE-RN. E o presente trabalho está sendo aqui publicado sob sua permissão.

COMENTÁRIOS

Sobre a postagem "Duo de gatos" no blog EntreMentes
"O médico Paulo Gurgel, irmão da jornalista Márcia Gurgel, tem um blog - 'Entrementes' - que é admirável de se ver. Gostoso, irreverente, cheio de novidades que ele cata pelo mundo da blogosfera e divide com seus leitores [ sou um deles ]. Ele postou ontem o 'Duo dos Gatos', admirável peça do compositor Rossini que é uma das peças do humor mais refinado. Eu vou compilar o texto explicativo do doutor PG e vocês aproveitem o domingo que é pra rir com música de boa qualidade." Nonato Albuquerque, Gente de Mídia

AS MARCAS DO OTAVIO BONFIM

Sob o título Fé e amor à arte são marcas do Otávio Bonfim, Marcus Peixoto escreveu uma reportagem sobre o bairro, que foi publicada na edição de 11/08/2010 do "Diário do Nordeste".
"A imponente Igreja de Nossa Senhora das Dores (na bem arborizada Praça dos Libertadores, fotografada por Alex Costa), templo espiritual administrado pelos frades franciscanos, é um ícone do bairro. Esse se chama oficialmente Farias Brito, mas, no coração popular, nunca deixará de ser o Otávio Bonfim."
Dentre as personalidades que deram seus depoimentos na reportagem, estão a profesora Elsie Studart Gurgel de Oliveira (que definiu o bairro como sendo "um reduto da família Gurgel") e o Sr. Raimundo Carneiro de Araújo (Vavá), ex-funcionário do Cine Familiar e atual proprietário do Cine Nazaré.

OS 80 ANOS DE ELDA - 2

Fazendo parte das homenagens a Dona Elda, o seu filho Marcelo Gurgel traçou um perfil da matriarca de nossa família. Foi publicado hoje (11/09) em O Povo, Jornal do Leitor e no Blog do Marcelo.

D. Elda Gurgel no dia da inauguração da Sala do Advogado, situada no Fórum Autran Nunes, em homenagem a seu marido prestada pela OAB-Ceará, em 2002.

OS 80 ANOS DE ELDA - 1

A festa dos 80 anos da matriarca Elda Gurgel e Silva, como já é sabido por todos (os convidados, claro), será no próximo sábado (11/09) no salão de festas do Edifício Spazzio Maranello.
A pedido da homenageada, o ponto alto será uma missa de ação de graças, celebrada no local, a partir das 9 horas, pelo padre Bezerra, o novo pároco de Jacarecanga e a quem cabe a difícil missão de tocar as obras da Igreja de São Francisco de Assis. Parada há décadas, a catedral será o maior templo dedicado ao Santo em Fortaleza. A propósito, o presente que dona Eldinha quer receber, dos convidados, é uma doação, em dinheiro, a ser revertido a favor da obra. Um "envelope" para a Igreja.
Depois da missa, os filhos oferecem um brunch aos convidados e que são, basicamente, os próprios familiares e alguns amigos mais próximos. Tudo bem simples, como ela deseja.

Márcia Gurgel

AGOSTO DE 2010

  • O engenheiro mecânico Érico, filho de Paulo e Elba, comemorou o seu aniversário em família. No dia primeiro (data antecipada), tendo como local do evento a pizzaria Delitalia, no Pátio Cocó.
  • Dia 7, no Ilmar Buffet, aconteceu o Baile de Formatura do Curso de Psicologia (turma 2010.1) da Universidade Federal do Ceará. Dentre os formandos, encontrava-se a jovem Diana, filha de Luciano e Elsa.
  • No período de 10 a 12, Érico esteve em Tatuí - SP, onde fica o Campo de Provas da Ford, a empresa para a qual ele trabalha em Horizonte - CE.
  • Sérgio Gurgel foi um dos agraciados com a medalha Advogado Padrão da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Ceará. A solenidade (na foto) em que Sérgio recebeu a medalha aconteceu no dia 12, à noite, no auditório da FIEC.

  • No dia 12, houve também o lançamento do livro “Abordagens Contemporâneas em Saúde Pública”, organizado por professores da área da saúde da Faculdade Integrada do Ceará (FIC). Marcelo Gurgel, além de prefaciador da obra, fez a sua apresentação no Auditório da Via Corpvs, na FIC.
  • No dia 15, almoço de adesão no Spettus pela mudança de idade dos gêmeos Germano e Luciano Gurgel.
  • Marcelo Gurgel esteve em Brasília, nos dias 17 e 18, para participar de uma reunião no Ministério da Educação sobre o ensino superior no Brasil. Em virtude desta viagem, Marcelo não pôde estar presente (foi representado pelo filho André Bastos Gurgel) na Sessão Solene da Câmara Municipal de Fortaleza, realizada no dia 17, na qual era um dos homenageados pelo Conselho Regional de Economia do Estado do Ceará.
  • "Bota-fora" para a professora e jornalista Mirna Gurgel, que viaja para Galícia, Espanha, onde dará prosseguimento a seu doutorado. Aconteceu a 22, domingo, num apartamento de nossa família na Praia de Icaraí.
  • Retorno de Marcelo a Brasília, onde permaneceu de 25 a 28 de agosto, para participar de uma nova rodada de reuniões no Ministério da Educação.
  • Aniversariantes de SETEMBRO: (11) Elda; (19) Meuris; (21) Vanessa, filha de Fernando e Márcia; (22) André, filho de Marcelo e Fátima.