80 ANOS DE MARIA ELMA GURGEL MOTA

Nascida em Fortaleza, em 10 de maio de 1934, tia Elma completou 80 anos de existência.
É filha de meus avós maternos, Paulo Pimenta Coelho e Almerinda Gurgel Valente.
Aos 20 anos, casou-se com José Alcy Mota, resultando dessa união 7 filhos: Lúcia Maria, Maria Goretti, Maria Neuma, Maria Elma Filha, Maria Clara, Francisco Paulo e José Alcy Filho.
Sua descendência inclui, nas gerações seguintes, 12 netos e 1 bisneto.
Felicitações à querida tia Elma.

SERRA GAÚCHA

Memória compartilhada
A viagem de Florianópolis a Gramado, na Serra Gaúcha, onde passaríamos os dias seguintes, e também a viagem de retorno a Floripa, foram feitas em ônibus de carreira. Veículos bastante confortáveis, de dois andares, e nos quais dormimos durante as viagens, já que estas foram noturnas.
Entre estas duas cidades, ambas de importância turística, opera apenas um empresa rodoviária, a Viasul. No horário das 22 horas e meia, um ônibus que parte de Florianópolis, e das 20 horas, outro que parte de Gramado. O percurso é feito, em sua maior parte, pela litorânea BR-101. É inacreditável que essas duas cidades apresentem entre si uma demanda tão baixa de passageiros rodoviários.
13/05 - Hospedagem no Hotel Sul Serra (central, confortável e com bom atendimento). "Tour Gramado e Canela" pela G. A. Turismo. Guia: Sr. Marcelo. Roteiro:
Fábrica de cristais | "Chocolateria Gramado" | Degustação de vinhos e queijos | "Mundo a vapor" | Almoço no "Dalla Ristorante" (comida excelente), em Canela | Cascata do Caracol | Lago Negro | "Mini Mundo"
Elba comprou uma garrafa de vinho tinto para presentear a irmã Denise. No rótulo de couro da garrafa, o vendedor gravou a pirógrafo (não conhecia este equipamento) o nome de sua irmã. Dentre os locais visitados, impressionou-me especialmente o "Mundo a vapor", com aparelhos de vários tipos, construídos pelos irmãos Omar e Benito Urbani, que funcionam perfeitamente apesar de serem réplicas em tamanho reduzido. Uma de suas atrações, por exemplo, produziu diante de mim um papel verde com estes dizeres: "Visitei o MUNDO A VAPOR em Canela/RS e acompanhei a fabricação deste papel na Menor Fábrica de Papel do Mundo".
Jantar: rodízio de sopas no Hotel Sul Serra (dos 25 tipos de sopas no menu, o restaurante do hotel disponibiliza 5 a cada noite).
Elba no Lago Negro, em Gramado
14/05 - Passeio no Centro de Gramado: Biblioteca Municipal (onde fiz a doação de um exemplar do PORTAL DE MEMÓRIAS), Rua Coberta, Palácio dos Festivais (com a fachada ornamentada pelo Kikito, que simboliza o deus do humor) e Igreja Matriz São Pedro (com monumentos aos apóstolos no pátio frontal da igreja)|
Gramado apresenta muitos de seus imóveis construídos nos estilos bávaro e enxaimel, típicos da arquitetura europeia e que embelezam ainda mais a paisagem natural da Serra gaúcha. A cidade não dispõe de semáforos e o trânsito é organizado a partir das rotatórias localizadas em suas avenidas principais: Borges de Medeiros e das Hortênsias. Os motoristas são respeitosos com os pedestres e a cidade apresenta baixo nível de criminalidade. Além de abrigar eventos diversos ao longo do ano, Gramado é sede do Festival de Cinema, em agosto, e do Natal Luz, que deixa a cidade toda decorada entre novembro e janeiro.
Passeio em Nova Petrópolis, uma cidade em que se vê forte influência da cultura alemã, a 34 Km de Gramado. A viagem de ônibus dura 45 minutos e, no percurso, passa-se em frente do "Parque Snowland" (pista de gelo). Em Nova Petrópolis, uma cidade conhecida por suas malharias, Elba fez compras e, ao fim da visita, almoçamos no "Plátano Grill".
Check-out no hotel e saída da rodoviária às 20 horas, de volta à Florianópolis. Procurei não dormir nas horas iniciais da viagem, para apreciar a beleza de algumas das cidades gaúchas: Taquara, Sapiranga, Novo Hamburgo e São Leopoldo. Sentados na primeira fila do andar superior do ônibus, tínhamos realmente uma visão panorâmica das cidades em que passávamos. Chegamos à rodoviária de Floripa às 4 horas e meia, tomamos o café e esperamos a cidade acordar para uma manhã de compras e passeios.

FLORIANÓPOLIS E BALNEÁRIO CAMBORIÚ

Memória compartilhada
09/05 - Voo de Fortaleza a Florianópolis, via Guarulhos. Hospedagem no "Porto da Ilha". Caminhada ao entardecer, do hotel ao terminal rodoviário de Floripa (com o subsequente retorno). Jantar no "Toca da Garoupa".
10/05 - Passeio a Balneário Camboriú, com roteiro a cargo da "Vivato Turismo". Guia: Sr. Denilson.
Pontos turísticos do roteiro: Morro do Careca (do qual se avistam o Balneário Camboriú e a vizinha cidade de Itajaí) | Passeio em teleférico do Parque Unipraias, que percorre três estações: Barra Sul, Mata Atlântica e Laranjeiras | Parada em quiosques da estação Mata Atlântica (chovia então) para saborear um chocolate quente com marshmallow e adquirir produtos de artesanato | Almoço em Itapema, no "Recanto da Sereia" | Praias do Balneário visitadas: do Estaleiro, do Pinho, Taquaras e Central (Avenida Atlântica) | Observação à distância do "Cristo Luz", uma estátua que, a cada noite da semana, lança uma luz de cor diferente sobre a cidade (segundo o guia).
Balneário Camboriú está localizado a cerca de 80 km de Florianópolis, com o acesso sendo feito pela BR-101. Emancipou-se de Camboriú em 1964 e, atualmente, apresenta uma população por volta de 110 mil habitantes. Suas principais atividades econômicas são o turismo, o comércio e a construção civil. Para entrar em Balneário Camboriú, paga-se uma taxa diária de 105 reais por veículo de turismo. Há edifícios bem luxuosos na cidade, cujos atrativos para os adquirentes incluem: garagem e pier para barcos. Comentou-se, no passeio, que a atriz Sharon Stone ganhara um apartamento para fazer a propaganda de lançamento de um dos edifícios. Para entrar no complexo turístico do Parque Unipraias, o bilhete para adultos custa 36 reais. A estação da Mata Atlântica oferece opções de trilhas, mirantes, arvorismo e atividades radicais como o passeio em um trenó de montanha que alcança 60 km/h. Em Itapema, placas rodoviárias indicam a existência de uma tal... "Meia Praia".
11/05 - Passeio "Floripa Total", organizado pela "Itaguasul Turismo". Guia: Sr. Délio.
Centro - Mirante da Ponte Hercílio Luz e Praça XV de Novembro, entre outros logradouros.
Sul - Ribeirão da Ilha, Pântano do Sul, Lagoa do Peri, Praia de Armação, Morro das Pedras e Campeche.
Ribeirão foi uma das primeiras comunidades de Santa Catarina e a primeira de Florianópolis. Conserva bem os traços da colonização portuguesa. Destaca-se pelo cultivo das ostras e pelo número de restaurantes especializados no serviço deste alimento.
Lagoa da Conceição, Praia da Joaquina, Praia Mole e Barra da Lagoa (local de parada para o almoço no restaurante "Dois Irmãos") | Centro de Visitantes do Projeto Tamar em Florianópolis |
Praia dos Ingleses, Canasvieiras, Jurerê e Forte de São José da Ponta Grossa.
Constituída principalmente por mansões e hotéis de luxo, Jurerê é belíssima.
12/05 - Ida com Elba ao "Beiramar Shopping". Pausa para o almoço no "Texano Grill", na praça de alimentação. À tarde, optei por assistir ao filme "Getúlio". enquanto Elba pegou táxi para ir conhecer o "Shopping Iguatemi". Como estava planejado, Natália, Rodrigo e os demais hospedariam-se em Jurerê, onde encerraram a temporada em Florianópolis. Quanto a mim e Elba, faríamos, nos dias seguintes (13/05 e 14/05), o roteiro que havíamos programado para a Serra Gaúcha. (V. próxima postagem.)
Acossado pela mídia, pela oposição golpista e pelas forças armadas,Getúlio suicidou-se. E, ao praticar o extremo ato, adiou o golpe de Estado de 1954 para 1964.
15/05 - Nosso retorno, pela manhã, a Florianópolis. Na região central da cidade, enquanto Elba percorria as lojas do "Centro Comercial ARS", aproveitei para visitar a Catedral Metropolitana, o Mercado Público e o Palácio Cruz e Sousa, onde integrei-me a uma visitação de uns cinquenta estudantes do município de Gaspar. À saída, ainda houve tempo para fazer esta pose (foto) em um banco da Praça XV, sob a sombra de uma figueira centenária. Almoço (excelente) com Elba, no "Floripa Grill" do "Shopping Point". Check-in e embarque num voo de Florianópolis, via Guarulhos, com destino a Fortaleza, aonde chegamos (com algum atraso) na madrugada do dia 16.
O Palácio Cruz e Sousa é a sede do Museu Histórico de Santa Catarina. O que há para ver nele: a pinacoteca, exposições sobre a vida e a obra do poeta simbolista Cruz e Sousa (catarinense e filho de escravos) e sobre o Correio Aéreo de alguns países, e, por último e não menos importante, o Palácio (em processo de restauração). Neste belo prédio, construído em meados do século 18, destacam-se a escadaria em mármore de Carrara, a marchetaria nos assoalhos, as pinturas das paredes, as claraboias e o grande vitral em estilo "art nouveau". Mobiliário, utensílios e obras de arte formam o acervo deste local que serviu de residência e de local de trabalho para diversos presidentes da Província de Santa Catarina.
Próxima postagem: SERRA GAÚCHA

FLORIANÓPOLIS, 15 ANOS DEPOIS

Memória compartilhada do passeio anterior
Meio de transporte: Ônibus (Curitiba-Florianópolis-Curitiba) | Estada: 22 a 24/05/1999 | Hospedagem: Valerim Plaza, no Centro Histórico de Florianópolis | Locais visitados: Centro, Baía Norte (inclusive o Beiramar Shopping), Ponte Hercílio Luz, Baía Sul, Lagoa da Conceição e Barra.
Hoje (09/05/2014), retorno a Florianópolis. Acompanham-me nesse passeio minha esposa Elba, nossa filha Natália, com seu esposo Rodrigo, os pais deste,  Henrique e Eveline, e um dos irmãos de Rodrigo, o Marcos, com a esposa Bárbara.
Bárbara, Natália, Elba, Eveline, Henrique e eu (Paulo)
Florianópolis é uma das três capitais de Estado situadas em ilhas (as outras são Vitória e São Luís). Em sendo insular, este aspecto mexe com a imaginação das pessoas, mas Floripa situa-se em parte no continente. Ilha e continente se conectam através de duas modernas pontes de concreto, já que a histórica Ponte Hercílio Luz, o principal cartão postal da cidade, encontra-se há décadas interditada.

CURSO "LEITURA RADIOLÓGICA DAS PNEUMOCONIOSES"

Local: Curitiba-PR
Período: 19 a 22/05/1999
Curso: "Leitura Radiológica das Pneumoconioses"
Instrutores: Dr. Eduardo Capitani e Dr. Eduardo Algranti
Entidades promotoras: Fundacentro e Faculdade Evangélica do Paraná
Descrição do curso
Um curso de capacitação em leitura radiológica das pneumoconioses, com carga horária de 20 horas, para 30 médicos – pneumologistas, radiologistas e médicos do trabalho – oriundos dos vários Estados do Brasil. Constava o curso de aulas teóricas sobre silicose e doenças relacionadas ao asbesto e aulas práticas de leitura radiológica das pneumoconioses. Para estas últimas, cada dupla de alunos dispunha de um jogo completo de radiografias de tórax, com anormalidades pulmonares e pleurais relacionadas a pneumoconioses, e de um negatoscópio de três corpos para as leituras. Estas eram realizadas dentro do padrão OIT-1980, com os resultados sendo registrados em formulários apropriados. Ao término do curso, que foi excelente, os participantes foram avaliados quanto ao aproveitamento.
Estada em Curitiba
Hospedagem no Esteio Park Hotel | Fazia frio em Curitiba (numa das madrugadas a temperatura baixou a 2 graus) | Locais visitados: Rua 24 horas, Boca Maldita e Calçada das Flores, no Centro Histórico da cidade | No sábado à tarde, após a conclusão do curso, tomei um ônibus para Florianópolis, onde passaria o fim de semana (de 22 a 24/05/99).
Em 1969, Curitiba esteve no roteiro de uma excursão que fiz de Fortaleza a Buenos Aires, com colegas de turma da Faculdade de Medicina. A partir de Curitiba, houve também um passeio de trem a Paranaguá. Inesquecível.