CANHOTO DA PARAÍBA E ZIVALDO MAIA NO SANTIAGO DRINKS

Em Fortaleza dos anos 80, funcionou no térreo do edifício Marinho de Andrade, na Avenida Beira-Mar, o Santiago Drinks, o simpático barzinho do Otávio Santiago.
Um dos seresteiros mais conhecidos da cidade, naquela época, Otávio Santiago montou uma casa noturna onde recebia os amigos e os admiradores de sua voz. Uma voz belíssima, a serviço da seresta tradicional, ao tempo em que eram ainda assíduas as canções de Silvio Caldas, Francisco Alves e Orlando Silva.
No Santiago Drinks, a mais inesquecível das noites aconteceu justamente em um meio de semana. Quando se deu, por acaso, um encontro musical do Canhoto da Paraíba com o cearense Zivaldo Maia (fotógrafo: Igor de Melo), dois virtuoses do violão. Canhoto e Zivaldo: um cordial enfrentamento de cordas que fez um bem enorme à música popular brasileira.
Zivaldo Maia, para quem não conhece
Jota A. Botelho, Jornal GGN
Citado pelo Sr. Paulo Gurgel, o virtuoso violonista cearense, Zivaldo Maia, aqui executando o chorinho, de sua autoria, "Violando":

Zivaldo Maia: um mestre cearense do violão, O POVO online, 01/02/2013
A paixão e o virtuosismo de Zivaldo, um mestre cearense do violão que já foi parceiro de Luiz Gonzaga e cicerone da fina flor da música brasileira em Fortaleza
Uma das últimas composições de Luiz Gonzaga foi feita em Fortaleza. Um xote de duas partes em que o Rei do Baião dividiu a assinatura da melodia e da harmonia com Zivaldo Maia, o violonista virtuoso diante do qual Lua se espantara anos antes: "esse cabra é bom!", proverbiou quando ouviu pela primeira vez aqueles arpejos criativos e aqueles acordes elegantes. A letra da composição, ainda hoje sem nome, seria escrita por Padre Gotardo – com quem Gonzaga dividiu "Obrigado João Paulo", homenagem ao papa que desembarcou no País em 1980. Mas a letra nunca ficou pronta.
"O Gotardo esteve aqui em casa, junto com o Luiz Gonzaga, e ficou de fazer. Mas adoeceu em seguida e ela terminou sem ser feita."(Trecho inicial da entrevista de Zivaldo ao jornalista Felipe Araújo.)
28/02/2015 - Atualizando...
Relembrando o grande Canhoto da Paraíba, por Uraniano Mota e Luciano Hortencio.

CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO

Com a finalidade de atualizar os médicos do trabalho e demais profissionais envolvidos com as rotinas da saúde ocupacional, a Associação Cearense de Medicina do Trabalho – ACEMT promoverá em Fortaleza, no Auditório da Unimed (Avenida Santos Dumont, 949), o I Curso de Atualização em Medicina do Trabalho.
O curso se desenvolverá em dois módulos:
I – 24 e 25/10/2014
II – 7 e 8/11/2014
Para os médicos do trabalho, o curso servirá de estímulo à participação do exame para a obtenção do título de especialista pela ANAMT/AMB, a ser realizado no Rio de Janeiro em 14/12/2014.
Participo como palestrante do módulo I do curso, falando sobre o tema Pneumoconioses.

LANÇAMENTO DO LIVRO "DIGNO DE NOTA"

CONVITE
A presidente da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores - Regional Ceará, Dra. Celina Côrte Pinheiro, convida para o lançamento do livro "Digno de Nota", a 31ª antologia da Sobrames - CE.
A antologia será apresentada pelo jornalista e professor Cid Carvalho, membro da Academia Cearense de Letras e do Instituto do Ceará.
Serviço
Local: Espaço de Eventos do restaurante Dallas Grill
           Av. Dom Luís 1219 - Fortaleza
Data: 24/10/2014 (sexta-feira)
Horário: 19h30
Traje: esporte fino

JOSÉ JOAQUIM DE OLIVEIRA MONTE (01/01/1944–12/09/2014)

Registro com pesar o falecimento em 12/09/2014 do médico psiquiatra José Joaquim de Oliveira Monte (foto), de 70 anos. Professor titular do Departamento de Ciências Morfológicas do Setor de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Paraná, ele deixou viúva D. Celina Santiago Monte.
O Dr. José Joaquim Oliveira Monte nasceu no município de Barras, no Piauí, graduando-se em Medicina pela Universidade Federal do Ceará, em 1971. Na década de 1980, passou a morar em Curitiba, tendo publicado diversos artigos sobre educação, saúde, qualidade de vida e relações humanas no Jornal Gazeta do Povo e na Revista do Santa Mônica. Foi membro do Rotary Club do Bom Retiro e governador distrital de 1998 a 1999, além de presidente do PX Clube de Curitiba.
Em 2013, foi distinguido com o título de Cidadão Honorário de Curitiba, como reconhecimento ao seu compromisso e dedicação à comunidade. Na ocasião, em animado discurso, assinalou que “devemos ser líderes de nossa vida e trilhar nossa trajetória de modo que, quando olharmos para trás, possamos ver as marcas que estamos deixando”.
Lutando contra um câncer, há dois meses o Professor Monte – como era conhecido – esteve em visita à sua cidade natal no Piauí, numa despedida em que procurou rever os amigos, circular pelos rios Marathaoan e Longá, além de outros lugares preferidos de sua infância.
Nos registros de jornal eletrônico de sua cidade natal, na notícia de sua morte, foi destacado o talento do Dr. Joaquim Monte para poesia. “Além de artigos para jornais e revistas, Monte também escrevia poemas, como os irmãos Manoel Monte Filho e Francy Monte, ambos imortais da Academia de Letras do Vale do Longá.”
Reproduzo um de seus poemas, ali publicado em abril de 1980, em que ele fez uma homenagem a seu filho:
O HOMEM DE MINHA VIDA
     Oh! Meu Deus! Que triste sorte a minha!
Que tanto um homem para mim procurava!
Só mulheres apareciam! Só mulheres tinha!
Só mulheres, Senhor! Só mulheres encontrava!
     Queria um homem... Um homem só para mim!
Que me desse carinho e calor no coração!
Era demais... Era uma tristeza sem fim!
Parti para longe... Para viver na solidão!
     Então, Senhor! Tudo mudou em minha vida!
Minha alma estremeceu, meu peito cantou!
Os meus olhos se encheram de tanto brilho!
     Pois aqui, só para mim, um homem encontrei!
E todo meu: o homem que jamais tive e amei!
O Mauro... O homem de minha vida – meu filho.
Fonte
Família Monte de luto: morre em Curitiba o psiquiatra Joaquim Monte, natural de Barras, tribunadebarras.com

A DESCENDÊNCIA DE MOACIR SOARES PINTO E ZAÍRA TEIXEIRA DE MACEDO

Em levantamento que efetuei no livro "MARICA MACÊDO, a brava sertaneja de Aurora", de Vicente Landim de Macedo, sobre a descendência de Moacir Soares Pinto (recém-falecido) e Zaíra Teixeira de Macedo, após a atualização dos dados de 1998 para o ano de 2014, cheguei aos seguintes números de descendentes do casal Moacir-Zaíra, assim distribuídos:
- Filhos: 7
- Netos: 14
- Bisnetos: 4
- Total: 25
Ver a relação nominal dos membros da família Macedo Pinto no Google Docs.

NOTA DE FALECIMENTO DE MOACIR SOARES PINTO

Faleceu hoje (9) no Hospital São Mateus, o Sr. Moacir Soares Pinto (foto). Nascido em Aurora, Ceará, em 28/01/1928, era filho de Antonio Pinto e de Josefa Soares Pinto.
Auditor aposentado da Receita Federal, Moacir residiu em Aurora, Juazeiro do Norte, e, nos últimos anos, em Fortaleza. Deixa a esposa Zaíra e sete filhos: Antônio Pinto, Rosy Mary (Meirinha), Maria Lúcia (Maninha), Francisco Moacir, Elba Maria, Márcia e Denise.
O corpo está sendo velado no Jardim Metropolitano, onde haverá uma missa de corpo presente amanhã, às 16 horas, seguida do sepultamento às 17 horas.
De meu convívio com ele (sou casado com sua filha Elba) guardarei para sempre as recordações da grande amizade que cultivamos. Moacir sabia ser afável, prestativo solidário e generoso com o próximo e deixa em nosso  mundo um lastro de boas ações praticadas.
Consternado, apresento minhas condolências aos membros da família Macedo Pinto.
Descanse em paz, Sr. Moacir.
14/10/14 - Missa de 7° dia
Será realizada amanhã (15), às 19 horas, na Igreja da Paróquia de Nossa Senhora da Paz.

FIMATOSAN

Ex Phymatosan, um xarope para "tosse e bronchites", do Laboratório Simões.
Tinha um jingle que entrou para a história da propaganda nacional e que terminava assim:
♪Fimatosan, 
melhor não tem, 
é o amigo que lhe convém. 
Fi-ma-to-san.♪
Esse xarope, à base de ervas medicinais (extratos de jucá, agrião, guaco, cambará, maracujá, erva-silvina e óleo vermelho), patrocinava os grandes programas da época de ouro do rádio. E seu fabricante também distribuía para os consumidores o "Almanaque Fimatosan" com pequenas peças literárias, propagandas, receitas, palavras cruzadas e recomendações médicas.
O que poucos sabem é que o jingle de Fimatosan era uma versão nada poética da canção "Daisy Bell". Esta canção seria adiante "cantada" pelo computador HAL 9000, na famosa cena em que ele está sendo desligado em "2001: Uma Odisséia no Espaço" (vídeo).



♪Daisy Bell♪, EntreMentes
O jingle mais antigo do Brasil, Gente de Mídia
Bula, MedicinaNet
O coral do jingle do Fimatosan (1950), Jovem Pan