AS CAÇADAS DE PAULINHO

É uma fotografia que já tem meio século. Nela apareço exibindo o "troféu" de uma das minhas caçadas no Sítio Catolé, em Senador Pompeu.
Brincadeira, o que faço nela é pegar uma carona no sucesso que tio Edmar (também na foto) alcançava como hábil caçador. Era ele quem caçava os marrecos, os paturis e as galinhas d'água que povoavam o sítio de tia Olímpia e tio Raimundinho. Carregando sua temível espingarda com uns cartuchos - que ele mesmo fabricava - com espoleta, pólvora, bucha e chumbinho.
Numa dessas caçadas, ao nadar até o meio do Açude Novo para pegar uma ave que caçara, ele quase morreu afogado. O tio calculou a distância a nadar... só de ida, foi esse o problema.

Nenhum comentário: