ANIVERSÁRIO DE ZAÍRA - 90 ANOS

Nascida em Aurora-CE, em 21 de abril de 1927, Zaíra Teixeira de Macedo (minha sogra) teve seu aniversário de 90 anos festejado por familiares e amigos.
O local do evento foi o salão de festas do edifício 2020 da Avenida Beira-Mar, no Meireles, onde mora uma das filhas da matriarca.
Dona Zaíra, ao lado da filha Elba
Viúva de Moacir Soares Pinto, Zaíra é mãe de 7 filhos (Antonio, Lúcia, Rosy Mary, Moacir Filho, Elba, Márcia e Denise), avó de 14 netos e bisavó de 8 bisnetos.
https://docs.google.com/document/d/1zl3HywqEBvPW-92Ac6EZMrpaowgtcRWtCeiCzJyhehI/edit

O SISMÓGRAFO DE PEREIRO, CEARÁ

Iran Ferreira Machado
Nos idos de 1969, lá pelas bandas de Pereiro, sul do Ceará, a terra tremeu. Não só tremeu, como deixou as suas marcas indeléveis em casas, rachaduras pelo chão na zona rural e pavor entre seus habitantes.
Acionado pelas autoridades competentes, o Departamento Nacional da Produção Mineral, então sediado no Rio de Janeiro, enviou uma equipe de três geólogos ao local para averiguar os prejuízos e recomendar providências.
Chegando de jipe à cidade, já tarde da noite, os "três mosqueteiros" buscaram uma humilde pensão para a sua estada durante os dias de vistoria.
A primeira pessoa a prestar depoimento, ainda naquela noite, foi exatamente a proprietária da pensão, muito preocupada com as perdas e danos que poderiam decorrer de tão inusitado fenômeno geotectônico. A grande surpresa foi o seu relato de que um papagaio de estimação vinha oferecendo os seus serviços como sismógrafo improvisado, porém eficaz. De índole perquiridora ou até científica, a dona da pensão já estava elaborando uma espécie de escala Richter para uso doméstico.
A escala funcionava mais ou menos assim, de acordo com os resultados da última semana, registrados numa planilha pela diligente pesquisadora:
1 - Papagaio ligeiramente nervoso, caminhando pensativo para a esquerda e para a direita, sem cessar.
2 - Idêntico ao anterior, porém a ave já ensaia algumas decolagens.
3 - Papagaio demonstra forte nervosismo e tenta em vão romper a corrente para fugir do epicentro.
4 - Idêntico ao anterior, porém acompanhado de gritos histéricos ou expressões ininteligíveis ultrapassando 100 decibéis.
5 - Papagaio alvoroçado acorda com seus gritos todos os hóspedes e empregados do estabelecimento hoteleiro, manifestando um grau máximo de pânico, capaz de contagiar seres humanos e animais domésticos.
As intensidades de número 6 até 9 não foram definidas quanto ao comportamento da ave, em virtude do simples fato de que Pereiro não se encontra sobre os Andes ou em qualquer outra área sujeita à tectônica das placas.
Todavia, a proprietária se julgou bastante orgulhosa de, ao dispensar o uso de equipamentos sofisticados, com suas baterias, fios e relés, prestar uma valiosa contribuição às pequenas comunidades do Nordeste e de outras regiões desse imenso Brasil.
N. do E.
O colaborador Jaime Nogueira enviou-me um texto com esta história. Como não consegui copiá-lo diretamente do e-mail e encontrei outra versão (fonte) na internet, é esta que está sendo aqui republicada. As duas versões são igualmente geniais.

PESAR PELO FALECIMENTO DE JOÃO GONÇALVES PRIMO

"É com profundo pesar que informo o falecimento, na tarde desta terça-feira, 18/04/17, do meu pai JOĀO GONÇALVES PRIMO, aos 98 anos.
Homem íntegro, batalhador por natureza e de ilibada reputação. Com muita luta e honestidade, formou uma linda família ao lado de minha mãe, dona Vicentina Lucena, transmitindo a seus filhos suas experiências como cidadão e realizador.
Em nome de todos os irmãos, netos, demais familiares e amigos, agradeço os votos de pesar recebidos, na certeza de que meu pai repousa na Glória do Senhor.
Aos que desejarem prestar as últimas homenagens, o velório será realizado hoje, à partir das 20 horas, na Funerária Ternura, localizada, à Rua Padre Valdevino, 2555, com Missa de corpo presente amanhã, dia 19/04, às 15 horas. Seu sepultamento ocorrerá no Cemitério Parque da Paz, às 16 horas.
Saudades eternas."
Gaudêncio Gonçalves de Lucena
Meus sentidos pêsames à família de Gaudêncio Gonçalves pela perda deste ente querido.
Há 10 anos...
O grande ser humano que foi o Sr. João (como o chamávamos na intimidade), foi biografado por Juarez  Leitão e Tulio Monteiro, neste livro:
"Sonhos e vitórias : a história de João Gonçalves Primo".
Fortaleza, Premius, 2007. ISBN 9788575643969

MATHEUS - 11 ANOS

Muda hoje (17) de idade o meu neto Matheus Noronha Gurgel, aluno do Colégio Batista Santos Dumont.
Ontem à noite, fomos com ele à pizzaria Maria Tomate, no Cocó, para uma comemoração em família de seu aniversário.
Parabéns, Matheus.
Seu pai Érico, que aparece na foto com ele, acaba de regressar de um passeio de férias na cidade do Rio de Janeiro e em Belém, com a esposa Aline.

UM TOUR HORIZONTINO

Em 1938, Guarani, que logo depois recebeu o nome de Pacajus, passou à categoria de município, tendo seu território dividido em 4 distritos: Guarani, Currais Velho, Lagoa das Pedras e Olho d’Água do Venâncio. O último viria a se tornar Horizonte, tendo recebido essa denominação pelo fato de a região ser rica em fontes hídricas, sendo o olho d’água na fazenda do Venâncio a mais conhecida.
Dados Gerais
Localização: RM de Fortaleza
Distância de Fortaleza: 40 km, pela BR-116
Distâncias de outras cidades: Pacajus: 10 km, via BR-116; Cascavel: 34 km, via BR-116 e CE-253; Pacatuba: 36 km, via BR-116, CE-350 e CE-060; Acarape: 38 km, via CE-253
População: 55 154 habitantes, IBGE/2010
Gentílico: Horizontino
Área: 160 km²
Municípios limítrofes: Aquiraz, Cascavel, Guaiúba, Itaitinga, Pacajus e Pindoretama
Distritos: Horizonte-Sede, Aningas, Dourado e Queimadas
Avenida e principais ruas da cidade: Presidente Castello Branco (a avenida em que  fica a moderna sede da Prefeitura), Ciro Bilhar, Juvenal de Castro, Baturité e Rafael Santos (a rua da Pousada Horizonte)
Onde se hospedar: Pousadas Horizonte e Pinto Martins
Onde comer: Restaurantes Cândida, Sabor Caseiro, Med Pizzas e Big Lanches
Horizonte, é um dos municípios cearenses de robusto crescimento. Ocupando uma localização privilegiada na Região Metropolitana de Fortaleza, Horizonte teve o seu potencial alavancado pela chegada de grandes indústrias ao município nos últimos anos, 
https://horizonte.ce.gov.br
http://www.ceara.com.br/m/horizonte/index.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/Horizonte
Notas
Uma das indústrias de Horizonte é a Fábrica Troller, onde o engenheiro mecânico Érico Gurgel trabalhou (vídeo Copa Troller) no início de sua carreira.
Atualmente,o time do Horizonte está na 1ª divisão do futebol cearense.
Fiz a doação de um exemplar do livro Portal de Memórias: Paulo Gurgel, um médico de letras, organizado por meu irmão Marcelo, para a Biblioteca Municipal de Horizonte.

OUTROS PRODUTOS DA SIQUEIRA GURGEL

Em fevereiro de 2011, publiquei em Linha do Tempo, na nota OTÁVIO BONFIM. COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS NAS DÉCADAS DE 1950, 60 E 70, o seguinte tópico:
"Os produtos da Siqueira Gurgel foram e são populares entre os cearenses. Os nomes dos produtos fabricados, tais como o sabonete Sigel, o óleo Pajeú, a gordura de coco Cariri e o famoso sabão Pavão, fazem parte do cultura da Ceará. Um dos textos de um dos famosos jingle do sabão Pavão, sobrevive na alma cearense: uma mão lava a outra com perfeição, e as duas lavam a roupa com sabão Pavão. O nome da personagem estampada na embalagem do óleo Pajeú, a Neguinha do Pajeú, transformou-se em uma expressão bastante usada pelos cearenses para nomear uma pessoa sapeca e sem modos."
Mas, em recente visita à Exposição Arquivo Nirez, na Caixa Cultural, ao ver uma coleção de rótulos de produtos industriais, fiquei sabendo que a Siqueira e Gurgel Ltda. (Usina Ceará) também já fabricou:
- o sabão Elephante (com "ph"; v. imagem ao lado)
- o sabão Águia
- o saponáceo Pavão ("indispensável para limpar e lustrar talheres, panelas e metais em geral").

ABELARDO SOARES DE AGUIAR (1937-2017)

O precursor do processo de transformação do Sanatório de Maracanaú
por Maria Abreu Barbosa
Nascido em Baturité, Ceará, no ano de 1937, Abelardo Soares de Aguiar graduou-se em medicina, em 1963, pela Universidade Federal do Ceará. Participou do Curso de Especialização em Pneumologia Sanitária no Sanatório de Maracanaú em 1965, tornando-se médico residente dessa Instituição no período de 15.1.1964 a 28.2.1965. Foi contratado em 1.º de março de 1965, pelo Ministério da Saúde, lotado na Secretaria Nacional de Programas Especiais de Saúde, em exercício no Sanatório de Maracanaú, onde permaneceu até setembro de 1984.
Reconhecido por seus amigos e colegas de trabalho como uma pessoa generosa, humanitária, estudiosa e tranquila, foi considerado o precursor do processo de transformação do Sanatório em Hospital Geral, evitando, assim, o seu fechamento anunciado no final da década de 70.
Antes de tornar-se diretor do Sanatório, em 1978, ocupou as funções de médico assistente em Unidades de Internamento de Tuberculose e de Pneumopatias não Tuberculosas (1965 a 1968); foi chefe da Divisão Médica (1969); chefe da Unidade de Pneumologia (1974); assistente-diretor (1975 a 1978); além das funções anteriormente especificadas, participou ainda, na qualidade de auxiliar de Ensino, do Curso de Residência em Pneumologia realizado no Sanatório de Maracanaú (convênio celebrado entre a Divisão Nacional de Tuberculose e a Universidade Federal do Ceará), no período compreendido entre janeiro de 1967 à data de sua extinção em 1975.
Dois fatos que marcaram sua gestão como Diretor do Sanatório de Maracanaú são motivos de orgulho: o primeiro foi a elaboração do projeto intitulado “Transformação do Sanatório de Maracanaú em Hospital Geral” (1981), na ocasião em que o Ministério da Saúde já havia julgado o referido nosocômio, prescindível, apesar da sua magnitude à luta contra a tuberculose. O segundo, também 1981, intitulado “Processo de Co-Gestão Hospital de Maracanaú-Inamps” (observando-se que a esta altura a mudança de Sanatório para Hospital Geral já havia sido efetivada), permitindo que o Inamps alocasse recursos financeiros para o Hospital de Maracanaú, o que garantiu a sobrevivência do Hospital. Esse fato tornou exequível a concretização do processo de transformação em Hospital Geral, possibilitando a realização de obras, reformas, aquisição de materiais e equipamentos, além da contratação de pessoal.
Considerando haver cumprido sua importante missão, nosso brilhante guerreiro solicitou transferência para o Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social, em 17 de setembro de 1984, encerrando assim a sua participação na construção da história do Hospital de Maracanaú.
Fonte:
Hospital Municipal de Maracanaú: reflexos das políticas nacionais de saúde em meio século de história / [Maria Abreu Barbosa (Coord.) et al.]. – Brasília: Ministério da Saúde, 2004. 298 p.:il. color. – (Série I. História da Saúde no Brasil) ISBN 85-334-0844-7
Conheci Abelardo Soares de Aguiar no Sanatório de Maracanaú em 1972. Ela era médico pneumologista do Sanatório e, na época, eu dava início a um estágio em Pneumologia na instituição. o qual tive de interromper para seguir (temporariamente) a carreira de médico militar. Em 1977, quando ingressei no INAMPS e fui lotado no Hospital de Messejana, onde Abelardo já trabalhava, tornamos a nos encontrar. Neste hospital, vim a sucedê-lo na chefia do Serviço de Pneumologia, à época em que ele também me sucedia na chefia do Serviço de Arquivo Médico e Estatística. Foram três décadas de intensa convivência no trabalho e na vida social, em que aprendi a admirá-lo por seus muitos predicados técnicos e humanitários. Esta nota, aqui postada pouco tempo depois de sua partida, é uma homenagem que presto ao inesquecível colega e amigo. ~ Paulo Gurgel