O COBEQ 2010

O XVIII Congresso Brasileiro de Engenharia Química (COBEQ) de 2010, realizado entre os dias 19 e 22 de setembro, em Foz do Iguaçu, cidade do Noroeste do Paraná, reuniu mais de mil engenheiros químicos dedicados a atividades de pesquisas e ensino e empresariais. Além das presenças de destaque que atuam no Brasil, o encontro trouxe personalidades vindas de diversos países e universidades. Nove áreas básicas foram definidas para as apresentações dos trabalhos, palestras e aulas durante os quatro dias de evento. Dentre elas, as de Ensino de Engenharia Química, Biotecnologia e Engenharia Ambiental, cujo interesse é muito grande nas universidades e nas empresas nacionais e estrangeiras.
O COBEQ 2010 aconteceu simultaneamente com o 8 º Encontro Brasileiro de Adsorção (8º EBA) e o V Congresso Brasileiro de Termodinâmica Aplicada (V CBTermo).
Integrando o Comitê Executivo do COBEQ e coordenando o Comitê Organizador do EBA esteve a Profª Drª Meuris Gurgel Carlos da Silva, engenheira química cearense que leciona na UNICAMP. Laerte Antônio José José (seu esposo) atuou como mestre de cerimônias da Solenidade de Abertura e a Profª Drª Melissa Gurgel Adeodato Vieira (sobrinha) também participou do Congresso.
Meuris: falando na Solenidade de Abertura do Congresso

MEMÓRIA - RECITAIS DE CLÁUDIO COSTA

Em setembro de 1985, o violonista cearense Cláudio Costa deu um recital no Theatro José de Alencar. À época, o jornalista Rogaciano Leite Filho escreveria sobre ele:
"O som envolve através das cordas do violão. A música provoca então os sentidos, envolvendo o corpo, coração, mente, lembranças de uma antiga paixão...
Tudo é mágico no violão de Cláudio Costa, um dos maiores nomes da música instrumental do Ceará. O talento de Cláudio Costa não tem limites. Além do estudo intenso que se impõe há dezessete anos, em busca da perfeição, ele tem o poder da improvisação, chegando a atingir momentos que deslumbram pela beleza e por difíceis acordes.
Quando se ouve o violão de Cláudio Costa é difícil esquecê-lo. No domínio pleno das composições eruditas, sabe fazer maravilhosos arranjos de músicas brasileiras.
Agora, no Theatro José de Alencar, pode demonstrar sua capacidade musical e provar que esta terra possui valores que o Brasil inteiro precisa descobrir.
No seu violão tudo flui de forma espontânea e bela. Uma nova etapa de vida, por certo, desponta agora para este músico cearense: a emoção do palco, em trabalho individual. Basta agora dedilhar as cordas do seu violão e soltar o coração. O talento faz o resto."
Dois anos após, Cláudio Costa retornaria ao palco do Theatro José de Alencar. Para duas apresentações (assisti a uma delas) que aconteceram nos dias 9 e 10 de outubro de 1987, com o apoio da Universidade Federal do Ceará.
Teresa Fontenele, esposa de Cláudio, foi a apresentadora destes recitais em que ele homenageou o "Mestre do Violão" Andrés Segóvia.

PROGRAMAÇÃO
Violonista Cláudio Costa, 38
(numa entrevista à imprensa
local em 1987). Foto: Miguel
Portela
RETRATO BRASILEIRO - Baden Powell
BRASILEIRINHO - J. Pernambuco
PRELÚDIO - J. S. Bach
BERCEUSE JUSSARA - Baden Powell
ESTUDO Nº 1 - H. Villa-Lobos
INGÊNUO - Pixinguinha
ALLEGRETO - M. Guilliani
PAUSA PARA MEDITAÇÃO - Garoto
CHORO PARA METRÔNOMO - Baden Powell
VALSA DE EURÍDICE - Vinicius
CANTO DE OSSANHA - Baden e Vinicius
CARINHOSO - Pixinguinha
MISTY - Errol Garner
VENTO VADIO - Baden Powell

Ler também O VIOLONISTA MAIOR CLÁUDIO COSTA.

AS "PÍLULAS DO MATO"

Minha avó Almerinda costumava fazer referências a elas. Eram muito populares e, nos meus tempos de menino em Otávio Bonfim, podiam facilmente ser compradas nas mercearias do bairro. Mas não tinha a menor ideia para que as tais "pílulas do mato" serviam. E se persisti nessa ignorância foi porque jamais perguntei isso à minha avó.
Muitos anos depois, ao trabalhar como médico no Hospital de Messejana, vim a conhecer Dr. Jorge Matos. Uma grande figura humana que chefiava o serviço médico-assistencial da instituição. Corrigiu-me ele o nome do medicamento: de "pílulas do mato" para... "Pílulas do Cirurgião Dr. Matos", explicando-me ter sido esse cirurgião um bisavô dele.
Foi em 1846 que Dr. Mattos desenvolveu as pílulas que levam o seu nome, ao fazer uma associação da "cabacinha" com a "batata-de-purga", plantas que ele colhera no Sítio Alagadiço Novo de propriedade do Senador Martiniano de Alencar. E elas foram, por muitos anos, o fitoterápico de maior preferência no meio rural do Norte e Nordeste do Brasil. O filho do cirurgião Mattos, Joaquim de Alencar Mattos tornou-se farmacêutico e revestiu as pílulas inventadas pelo pai com prata, para evitar falsificações e fez o registro no Ministério da Saúde em 1908 (reg. N º 5).


Imagem do fruto da Luffa operculata, planta vulgarmente conhecida por "cabacinha", a qual entra na composição das "Pílulas do Dr. Mattos"


Transcrito do blog EntreMentes, onde se pode ler também uma nota sobre o falecimento do Prof. Abreu Matos (irmão de Dr. Jorge Matos), que foi uma referência nacional no estudo das plantas medicinais.

"OTÁVIO BONFIM: O BAIRRO DAS DORES E DOS AMORES"

É o nome de um dos capítulos deste livro de ensaios intitulado “TEMPOS DE GUERRA E DE PAZ: ensaios da vida” e que foi autografado por seus autores em 24/11/10, por ocasião do III LANÇAMENTO COLETIVO DA EDITORA DA UECE.
Organizada pelo médico e escritor Marcelo Gurgel Carlos da Silva, a obra reúne ensaios de 12 autores, dentre estes o próprio organizador (com 14 textos) e a professora Elsie Studart Gurgel de Oliveira.
Como diz Marcelo Gurgel:

A escolha do título deste livro, "TEMPOS DE GUERRA E DE PAZ: ensaios da vida" espelhou-se na dualidade da vida: há tempos de guerra e há tempos de paz, significando as próprias alternâncias do viver, transmutadas em ensaios, para apreciação do ledor.

ÁRVORE GENEALÓGICA

Os dados do ramo familiar Gurgel Carlos, que foram por mim colocados no www.meus parentes.com.br, com o término das atividades deste site, migraram para o www.myheritage.com.br, o qual passa a ser o novo endereço dos referidos dados na internet.
Para facilitar as consultas sobre a nossa árvore genealógica, o MyHeritage foi adicionado ao blogroll do Linha do Tempo.

NOVEMBRO DE 2010

  • Na noite de 9, foi celebrada na Igreja dos Navegantes a missa de sétimo dia para Francisca Carlos da Silva, a nossa inesquecível tia Fransquinha.
  • Nos dias 16 e 17, Marcelo Gurgel participou do Fórum de Coordenadores de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, realizado na capital maranhense. A indicação de Marcelo para representar a UECE no evento, deve-se à sua recente eleição para coordenar o Mestrado Acadêmico em Saúde Pública dessa instituição, a partir de janeiro de 2011.
  • No III Lançamento Coletivo de Livros da EdUece, que aconteceu no dia 24 na própria reitoria da UECE, constavam dois títulos de autoria de Marcelo Gurgel: “Falando com Arte: os meus, os seus, os nossos discursos” (relançamento) e “Tempos de Guerra e de Paz: ensaios da vida”, sua mais nova produção literária.
  • Jornalistas Adeodato Júnior e Márcia Gurgel passaram uma temporada em Campinas, São Paulo, onde mataram as saudades do neto Rafinha, filho de Fernando e Melissa.
  • Nenhum membro da família Gurgel Carlos tem aniversário natalício no mês de DEZEMBRO.

MIRNA NA GALÍCIA

Oi, Paulo. Tudo bem? Como estão todos?
Ufa!!! Finalmente uma foto com alguns informações para o blog Linha do Tempo.
Vamos lá. Ops!... pode melhorar o texto... (1) a foto também... (2)
Aqui, na Universidade de Santiago de Compostela, estou fazendo uma parte da minha pesquisa do Doutorado de Linguística da UFC. É mais um desafio. Felizmente, agora com todos os encantos da famosa capital da Galícia, cheia de igrejas, de peregrinos, de um povo acolhedor, com seus pratos de mariscos e tartas de Santiago, (3) mas, que acima de tudo se orgulha de possuir uma língua antecedente ao Português (4) e ao Espanhol. Isso tudo regado, quase diariamente, (5) por chuvas, seguidas de névoa e ventos frios... Ai, que saudades do meu Ceará!!!
Beijos a todos, Mirna Gurgel.

Comentários paulificantes
(1) Se melhorar, estraga.
(2) Tornei-a menos sombria, livrei-a de um reflexo e trouxe a protagonista para o centro da fotografia, só isso. J'ouviu falar em desastres com o Fotoshop?
(3) Vixe! Desculpe esta minha exclamação feita em galego, mas o que são essas tartas?
(4) "Tudo aquilo que o malandro pronuncia / com voz macia / é brasileiro, já passou de Português." Recorro ao "Poeta da Vila", cujo centenário de nascimento será comemorado em 11/12/10, e dele cito um trecho de seu samba "Cinema Falado".
(5) Ops!...  No início, pensei que fosse regado por vinhos. PGCS

TIPOS PITORESCOS DO BAIRRO

Na Fortaleza do século passado, registrava-se a presença de personagens com particularidades que os distinguiam da população em geral e que, por conta disso, viravam alvos das chacotas e das brincadeiras das demais pessoas. E o bairro Otávio Bonfim, que não fugia à regra geral, também tinha os seus moradores pitorescos: o Luciano, a Porronca, o Maria Alice e o Macaúba, entre outros.
Marcelo Gurgel, em seu livro OTÁVIO BONFIM, DAS DORES E DOS AMORES, faz uma descrição deles. Mais recentemente, este escritor retoma o assunto, com a publicação do artigo TIPOS FOLCLÓRICOS DO OTÁVIO BONFIM no Jornal do Leitor (O Povo. Fortaleza, 30 de outubro de 2010) e no Blog do Marcelo Gurgel.

A FAMÍLIA GOURGEL

Existe (escrita assim dessa forma) e seus integrantes vivem no outro lado do Atlântico.
Consta que se originou de um Gurgel brasileiro, ligado a Tiradentes, que foi desterrado para Angola (*) e por lá procriou. São nossos parentes, portanto.
A "Pio do Amaral Gourgel" é uma das principais famílias de Angola.

Fonte: internet
Corrigindo...
A história do Gurgel Inconfidente foi objeto de artigo publicado no meu blog. Ele nasceu em Parati, berço de um grupo da familia Gurgel em território fluminense.O grupo é numeroso. Ele foi degredado para Moçambique e não para Angola. Seus restos mortais foram trazidos para o Brasil e estão no Panteão dos Inconfidentes em Ouro Preto/MG. Foi o único não mineiro dos Inconfidentes, mas jamais foi lembrado por qualquer fluminense em qualquer tempo.

(*) Linha do Tempo reconhece o erro existente nesta nota e agradece a correção feita pelo jornalista JB Serra e Gurgel, cearense de Acopiara, que edita o Jornal da  Casa do Ceará em Brasília.

ARAÚJO DE CASTRO

Conheci-o de vista. O homem público José Araújo de Castro que, por cinco mandatos, foi vereador em Fortaleza. Sempre morou em Otávio Bonfim, bairro que era também o seu grande reduto eleitoral por conta de sua atuação em prol desta comunidade.
Registro, com atraso, o seu falecimento, ocorrido no mês de setembro.
Em sua memória, o médico e antropólogo Antonio Mourão Cavalcante escreveu o artigo "Guerreiro não morre" que foi publicado no Jornal O POVO, de 25/09/10, e em alguns blogs.
Link.

MARCELO E PAULO EM "RECEITAS LITERÁRIAS"

A Sociedade Brasileira de Médicos Escritores - Regional do Ceará (Sobrames - CE) realizou no Ideal Clube, no dia 26 de outubro, a solenidade de lançamento do livro "Receitas Literárias".
Esta antologia de prosa e poesia da Sobrames - CE (a vigésima-quinta) apresenta, entre seus autores médicos e convidados, os irmãos Marcelo (textos das páginas 181-183) e Paulo Gurgel (textos das páginas 207-208).
Marcelo Gurgel foi também o coordenador e o apresentador da obra.

Foto: Blog do Marcelo Gurgel

CARMINA, MEU AMOR

Graças a uma iniciativa da escritora Giselda Medeiros, da Academia Cearense de Letras, o internauta já tem como ler e deliciar-se com a crônica "Carmina, Meu Amor", de Marcelo Gurgel.
Giselda a publicou em seu blog LITTERIS.

TIA FRANSQUINHA (1913-2010)

Tia Fransquinha (Tatinha)
em seu 97º aniversário.
Foto: Germano Gurgel
Faleceu hoje (02/11), aos 97 anos, Francisca Carlos da Silva, em Acarape, cidade em que vinha residindo com a família de tio Válter, o seu irmão caçula.
Nascida em Pereiro em 15 de maio de 1913, era a mais velha dos filhos de José Carlos da Silva e Valdevina Maria. Funcionária pública federal aposentada, trabalhou no Serviço de Alimentação da Previdência Social (SAPS), lecionando Artes Culinárias.
Muito religiosa, além de integrar a confraria dos vicentinos, tinha uma atuação marcante na Paróquia de Nossa Senhora dos Navegantes, em Jacarecanga,  bairro de Fortaleza onde morou durante muito tempo.
Solteira e sem filhos, estes foram os seus muitos sobrinhos, aos quais Tia Fransquinha dedicou, ao longo de sua vida, toda atenção e afeto. Sentiremos muito a sua falta.
Será sepultada hoje no Cemitério São João Batista, em Fortaleza, após uma missa de corpo presente a ser celebrada, às 15h30, na igreja dos Navegantes.
Descanse em paz, tia Fransquinha.

Post Scriptum
Marcelo escreveu:
"Meu pai, hoje, 02/11/2010, Dia de Finados, fomos à nossa necrópole, para lhe deixar uma preciosa companhia em seu machadiano leito derradeiro, em que, hipocraticamente, descansa desta curta vida. Sua irmã primogênita, a nossa querida Tatinha, retornou à mansão de Deus, e, em atendimento ao que ela pedira, seus despojos se juntaram aos dos seus familiares mais próximos, genitores e seus irmãos, que consigo compartilham desse seu jazigo, no campo santo do São João Batista."
(...)
DEZ ANOS DE SAUDADES, Blog do Marcelo Gurgel

OUTUBRO DE 2010

  • Dia 26, à noite, aconteceu o lançamento do livro "Receitas Literárias", no Ideal Clube. Esta antologia, que apresenta entre os autores os irmãos Marcelo (que foi o organizador da edição) e Paulo Gurgel, é o 25º livro anual da Sobrames - Regional do Ceará. Íntegra da Apresentação da Antologia da Sobrames de 2010 por Marcelo Gurgel, aqui.
  • Aniversariantes de NOVEMBRO: (4) Dermeval Pedrosa, esposo de Magna, (5) José Gurgel, (12) Elba, esposa de Paulo e (13) Tiago, filho de Germano e Maysa.

A CRUZADINHA NO OTÁVIO BONFIM

Marcelo Gurgel Carlos da Silva
(médico e economista em Fortaleza)

Em 1914, por ocasião do Congresso Eucarístico de Lourdes, na França, germinou a proposta da Cruzada Eucarística Internacional para responder às aspirações do Papa Pio X (papado de 1903-1914) de estimular a prática da comunhão nas crianças. O Papa Bento XV, sucessor de Pio X, na cadeira de S. Pedro, criou, em 1916, a “Cruzada Eucarística das Crianças” ou “Cruzada Eucarística Infantil”.
Depois da I Grande Guerra, a “Cruzada Eucarística Infantil” disseminou-se pelos países, inclusive o Brasil, aqui chegando na década de vinte do século XX. Em torno de 1933, a Cruzada Eucarística acumulava quase três milhões de associados, internacionalmente. Em 1968, durante o papado de Paulo VI, mas sob a inspiração de João XXIII, papa de 1958-1963, a Cruzada ganhou a denominação de Movimento Eucarístico Jovem - MEJ.
A Cruzada Eucarística Infantil começou na Igreja Nossa Senhora das Dores, no bairro Otávio Bonfim, em Fortaleza-CE, nos anos trinta, pouco tempo após a consagração dessa igreja, em 13 de junho de 1930. Popularmente conhecida por “A Cruzadinha”, ela juntava meninos e meninas, entre sete e doze anos de idade, com a intenção de acompanhar a formação dessas crianças na vida cristã, no lar e na comunidade. Era organizada pelas catequistas, sob a orientação de um frade franciscano, e contava com o suporte dos pais.
As crianças da Cruzada Infantil, quando ainda em preparação para fazer a Primeira Comunhão, pertenciam à categoria de aspirantes, que se distinguiam por usar uma pequena fita amarela com uma cruz azul anil ao centro, presa na camisa por um broche, no lado esquerdo do peito, ao nível do bolso.
Após a Primeira Eucaristia, na Igreja Nossa Senhora das Dores, os neocomungantes transferiam-se para a categoria de perseverantes, integrantes da chamada Cruzada Juvenil, notabilizados pela exibição de uma faixa, de um amarelo bem vivo, que era disposta diagonalmente no tórax, partindo do ombro esquerdo e seguindo até o quadril direito, tendo, na face anterior, a mesma cruz azul, e concluindo por duas listras de fita azul, na junção das pernas da faixa.
Os membros de “A Cruzadinha”, com os seus garbosos símbolos, participavam das missas e das procissões, e cantavam, com muito fervor, o Hino da Cruzada Eucarística Infantil.
Todavia, o fim desse movimento, em meados dos anos sessenta, como organização sócio-religiosa, foi em parte substituído pelos grupos de jovens. Esses se reuniam no Salão Santo Antônio, aos sábados pela manhã, quando, por volta das 8 horas, começavam por sessão devotada a orações, preleções bíblicas e histórias sacras. Às 10 horas, estávamos liberados para as atividades sócio-recreativas, programadas pelos frades, que incluíam jogos de mesa: damas, xadrez, dominó, ping-pong etc., e mais os jogos de futebol de salão e de areia, respectivamente, na quadra esportiva e no campo do convento.
Eventualmente, os cruzadinhas eram brindados com uma sessão de cinema no Cine Familiar, de propriedade da Ordem dos Frades Menores, sendo, então, projetados filmes de censura livre, sem qualquer restrição etária; eram principalmente comédias do tipo “O Gordo e o Magro”, “Os Três Patetas” e as encenadas por Jerry Lewis; por vezes, em certas datas celebrativas, também eram exibidos filmes de caráter religioso.

Publicado In: Força viva, 15 (159): 5, 2010. (Informativo da Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Fortaleza-Ceará). Blog do Marcelo Gurgel.

DESCENDENTES DE TOUSSAINT E DOMINGAS. BIBLIOGRAFIA

Espalhados em bibliotecas especializadas no Brasil, podem ser encontrados exemplares das seguintes obras sobre o assunto: 
AMARAL, Aldysio Gurgel do - "Na Trilha do Passado"
AMARAL, Edelweis Campos - "Paraty, Caminho do Ouro"
AMARAL, Miguel Santiago Gurgel do - "Porteiras e Currais"
GURGEL, Luiz Heitor do Amaral - "Uma Família Carioca do Século XVI",
"Paraty, Caminho do Ouro"
LARANJEIRA, Joaquim - "Bento Gurgel"
LEME, Luiz Gonzaga Silva - "Genealogia Paulistana"
MELO, Cônego Geraldo do Amaral - "Informação sobre o ramo da família Amaral
Gurgel em São Paulo"
PEIXOTO, Afrânio - "Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro do Rio de
Janeiro"
RHEINGATZ, Carlos G - Descendência dos XVIII Primeiros Povoadores do Rio de
Janeiro
SILVA, Marcelo Gurgel Carlos da - "Otávio Bonfim, das Dores e dos Amores - Sob o Olhar de uma Família"
TAUNAY, Afonso D'Escragnolle - "História das Bandeiras Paulistas"
PUPO, Celso Maria de Mello - "O Visconde Anfitrião de Suas Majestades". In: Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro - Anais do Congresso de História do II Reinado - Comissão de Genealogia e Heráldica - 1984
Lista organizada a partir de um levantamento bibliográfico feito por Ricardo Nogueira de Castro Monteiro para o site Rootsweb. Modificada.

O ENGENHEIRO QUE VIROU BAIRRO

Em 1922, a Rede Viação Cearense (RVC) inaugurou uma de suas estações no quilômetro 3 da linha férrea Fortaleza-Crato. Algum tempo depois, a estação recebia o nome de Otávio Bonfim, em homenagem a um dos engenheiros da RVC. A região de Fortaleza que se desenvolvia em torno dessa estação logo passou a ser chamada de bairro Otávio Bonfim. E a mudança de sua designação para Farias Brito (o nome de um filósofo cearense), apesar de ter caráter oficial, até hoje não "pegou".
Ao lado, uma autêntica raridade: a reprodução de uma fotografia do Engenheiro Otávio Bonfim.

AS CAÇADAS DE PAULINHO

É uma fotografia que já tem meio século. Nela apareço exibindo o "troféu" de uma das minhas caçadas no Sítio Catolé, em Senador Pompeu.
Brincadeira, o que faço nela é pegar uma carona no sucesso que tio Edmar (também na foto) alcançava como hábil caçador. Era ele quem caçava os marrecos, os paturis e as galinhas d'água que povoavam o sítio de tia Olímpia e tio Raimundinho. Carregando sua temível espingarda com uns cartuchos - que ele mesmo fabricava - com espoleta, pólvora, bucha e chumbinho.
Numa dessas caçadas, ao nadar até o meio do Açude Novo para pegar uma ave que caçara, ele quase morreu afogado. O tio calculou a distância a nadar... só de ida, foi esse o problema.

SETEMBRO DE 2010

  • No dia 11, a festa dos 80 anos da matriarca Elda Gurgel e Silva (ver uma nota anterior no blog), que aconteceu no salão de festas do Edifício Spazzio Maranello. 
  • Aniversariantes de OUTUBRO: as irmãs gêmeas Diana e Marina (10), filhas de Luciano e Elsa, e Marília (13), neta de Sérgio e Solange.

ORIGEM DA FAMÍLIA GURGEL DO AMARAL / AMARAL GURGEL

ORMUZ BARBALHO SIMONETTI (*)

Em 1595, chegou ao Brasil o corsário francês TOUS-SAINT GURGEL, capitaneando algumas naus, com o propósito de realizar contrabando de madeira de lei, principalmente o pau brasil. Nessa época ainda havia lutas de portugueses com franceses que se refugiaram em Cabo Frio, remanescentes do sonho de Nicolas Duran de Villeganion, em fundar em território brasileiro, mais precisamente onde hoje se localiza a cidade do Rio de Janeiro, a sonhada França Antártica. Essa região havia sido escolhida porque era habitada pelos temidos índios Tamoios e Tupinambás, que eram evitados pelos portugueses devido a sua ferocidade e hostilidade.
Nascido em Alsácia, a leste da França, junto às fronteiras da Alemanha e da Suíça, Tous-Saint era filho de pai alemão da Baviera e mãe francesa. Era homem letrado, pois havia estudado no Liceu do Strasbourg, em París. Em Saint Malo, na Normandia Francesa, concluiu o curso de Hidrografia e Ciências Náuticas.
No vigor de seus 25 anos de idade, e com grande experiência no comando de navios, visto já ter navegado por todo o Mediterrâneo, desembarcou na região de Cabo Frio onde esperava ganhar dinheiro fácil, negociando com traficantes franceses e holandeses que habitavam aquela região e oportunamente realizando pilhagem em outras embarcações que por ali navegavam.
Pouco tempo depois de sua chegada a Cabo Frio, o corsário teve que enfrentar forças enviadas pelo então governador do Rio de Janeiro, Salvador Correia de Sá, sob o comando do coronel João Pereira de Souza Botafogo, encarregado de desalojar os franceses daquela região. Travou-se uma feroz batalha que culminou com a prisão de Tous-Saint Gurgel, que a frente de marinheiros franceses e alguns tamoios, lutaram até o fim. Com um número bastante inferior de homens e armas, logo foi feito prisioneiro, não obstante ter lutado com toda bravura, despertando admiração e simpatia do Coronal Botafogo, que logo se afeiçoou aquele valente aventureiro.
Trazido para o Rio de Janeiro, ficou encarcerado por algum tempo, e com a ajuda do seu captor, que gozava de grande prestigio junto ao Governador, conseguiu ficar na cidade do Rio de Janeiro por menagem. Tempos depois conseguiu a liberação de suas naus e tripulantes, aprisionados juntos com ele em Cabo Frio, e passa a dedicar-se a pesca de baleias na baía da Guanabara.
O cetáceo, muito freqüente nos meses frios, era capturado com facilidade e sua carne vendida no comércio local. O azeite as barbatanas e a gordura exportados para o Reino, rendiam um bom dinheiro nas terras d’além-mar. Sempre contando com a proteção do Coronel Botafogo, participou de diversos negócios, ganhando bastante dinheiro, e em pouco tempo torna-se um homem muito rico.
Em janeiro de 1598 casou-se com a brasileira, Domingas de Arão Amaral filha do casal lusitano D. Antônio Diogo do Amaral e Micaela de Jesus Arão. Nascia naquela ocasião, e posteriormente através de seus descendentes, a família “Gurgel do Amaral” ou “Amaral Gurgel”. Tiveram oito filhos sendo sete filhas e um varão, nascidos e registrados na Sé, entre 1607 e 1619.
A primeira filha do casal chamava-se Maria do Amaral Gurgel (1607/1671) que casou-se duas vezes. A primeira com Antônio Ramalho e tiveram cinco filhos. Em segundas núpcias, casou com Diogo da Fonseca e foram pais de quatro filhos sendo dois homens que se tronaram padres e duas mulheres.
O segundo filho chamava-se Francisco do Amaral Gurgel que tornou-se religioso e ordenando-se padre. Era comum nas famílias mais abastarda da época a escolha de um dos filhos para seguir a carreira religiosa. Nasceu em 1610 e faleceu em 17.09.1654, na cidade do Rio de Janeiro.
A terceira filha do casal, Isabel do Amaral Gurgel, nasceu no Rio de Janeiro em 1613. Casou-se com Claudie Antoine Besançon, nove anos mais moço que ela, nascido na França, em 1604. Não temos registro de filhos do casal.
Ângela do Amaral Gurgel (1616/1695), a quarta filha do casal, casou-se com o português Capitão João Batista Jordão. O casal teve sete filhos entre os quais Cláudio Gurgel do Amaral, que se ordenou padre depois que ficou viúvo e já com bastante idade.
A quinta filha do casal, Barbara Amaral Gurgel, nascida em 1617, casou-se com João Nogueira e tiveram diversos filhos, entre eles um chamado Bartolomeu.
Já a sexta filha do casal, Antônia do Amaral Gurgel, nascida em 1619, casou-se duas vezes: a primeira com João de Azevedo Roxas e tiveram cinco filhos, entre eles um padre de nome Francisco do Amaral Roxas. Em segundas núpcias, casa-se com o capitão Antônio Rodrigues Tourinho. Não temos registro de filhos desse casal.
E a sétima filha, Méssia do Amaral Gurgel, falecida em 1687, casou-se com José Nunes da Silva e tiveram quatro filhos entre eles o frei Antônio de Santa Clara. E por última, Domingas do Amaral Gurgel que faleceu em tenra idade.
Quando morreu em 1651, já viúvo, aos 84 anos de idade, além dos filhos, netos e bisnetos gerados a partir de sua esposa Domingas de Arão do Amaral, deixou também vários descendentes mestiços, nascidos de suas constantes viagens pelo interior, onde passava várias semanas caçando e pescando, sempre acompanhado por amigos, escravos e índios mansos. Por ocasião de sua morte, os descendentes do seu casamento já somavam mais de uma centena e se espalhavam pelos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia.


(*) Ormuz (foto ao lado) é presidente do Instituto Norte-Rio-Grandense de Genealogia e membro do IHGRN e da UBE-RN. E o presente trabalho está sendo aqui publicado sob sua permissão.

COMENTÁRIOS

Sobre a postagem "Duo de gatos" no blog EntreMentes
"O médico Paulo Gurgel, irmão da jornalista Márcia Gurgel, tem um blog - 'Entrementes' - que é admirável de se ver. Gostoso, irreverente, cheio de novidades que ele cata pelo mundo da blogosfera e divide com seus leitores [ sou um deles ]. Ele postou ontem o 'Duo dos Gatos', admirável peça do compositor Rossini que é uma das peças do humor mais refinado. Eu vou compilar o texto explicativo do doutor PG e vocês aproveitem o domingo que é pra rir com música de boa qualidade." Nonato Albuquerque, Gente de Mídia

AS MARCAS DO OTAVIO BONFIM

Sob o título Fé e amor à arte são marcas do Otávio Bonfim, Marcus Peixoto escreveu uma reportagem sobre o bairro, que foi publicada na edição de 11/08/2010 do "Diário do Nordeste".
"A imponente Igreja de Nossa Senhora das Dores (na bem arborizada Praça dos Libertadores, fotografada por Alex Costa), templo espiritual administrado pelos frades franciscanos, é um ícone do bairro. Esse se chama oficialmente Farias Brito, mas, no coração popular, nunca deixará de ser o Otávio Bonfim."
Dentre as personalidades que deram seus depoimentos na reportagem, estão a profesora Elsie Studart Gurgel de Oliveira (que definiu o bairro como sendo "um reduto da família Gurgel") e o Sr. Raimundo Carneiro de Araújo (Vavá), ex-funcionário do Cine Familiar e atual proprietário do Cine Nazaré.

OS 80 ANOS DE ELDA - 2

Fazendo parte das homenagens a Dona Elda, o seu filho Marcelo Gurgel traçou um perfil da matriarca de nossa família. Foi publicado hoje (11/09) em O Povo, Jornal do Leitor e no Blog do Marcelo.

D. Elda Gurgel no dia da inauguração da Sala do Advogado, situada no Fórum Autran Nunes, em homenagem a seu marido prestada pela OAB-Ceará, em 2002.

OS 80 ANOS DE ELDA - 1

A festa dos 80 anos da matriarca Elda Gurgel e Silva, como já é sabido por todos (os convidados, claro), será no próximo sábado (11/09) no salão de festas do Edifício Spazzio Maranello.
A pedido da homenageada, o ponto alto será uma missa de ação de graças, celebrada no local, a partir das 9 horas, pelo padre Bezerra, o novo pároco de Jacarecanga e a quem cabe a difícil missão de tocar as obras da Igreja de São Francisco de Assis. Parada há décadas, a catedral será o maior templo dedicado ao Santo em Fortaleza. A propósito, o presente que dona Eldinha quer receber, dos convidados, é uma doação, em dinheiro, a ser revertido a favor da obra. Um "envelope" para a Igreja.
Depois da missa, os filhos oferecem um brunch aos convidados e que são, basicamente, os próprios familiares e alguns amigos mais próximos. Tudo bem simples, como ela deseja.

Márcia Gurgel

AGOSTO DE 2010

  • O engenheiro mecânico Érico, filho de Paulo e Elba, comemorou o seu aniversário em família. No dia primeiro (data antecipada), tendo como local do evento a pizzaria Delitalia, no Pátio Cocó.
  • Dia 7, no Ilmar Buffet, aconteceu o Baile de Formatura do Curso de Psicologia (turma 2010.1) da Universidade Federal do Ceará. Dentre os formandos, encontrava-se a jovem Diana, filha de Luciano e Elsa.
  • No período de 10 a 12, Érico esteve em Tatuí - SP, onde fica o Campo de Provas da Ford, a empresa para a qual ele trabalha em Horizonte - CE.
  • Sérgio Gurgel foi um dos agraciados com a medalha Advogado Padrão da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Ceará. A solenidade (na foto) em que Sérgio recebeu a medalha aconteceu no dia 12, à noite, no auditório da FIEC.

  • No dia 12, houve também o lançamento do livro “Abordagens Contemporâneas em Saúde Pública”, organizado por professores da área da saúde da Faculdade Integrada do Ceará (FIC). Marcelo Gurgel, além de prefaciador da obra, fez a sua apresentação no Auditório da Via Corpvs, na FIC.
  • No dia 15, almoço de adesão no Spettus pela mudança de idade dos gêmeos Germano e Luciano Gurgel.
  • Marcelo Gurgel esteve em Brasília, nos dias 17 e 18, para participar de uma reunião no Ministério da Educação sobre o ensino superior no Brasil. Em virtude desta viagem, Marcelo não pôde estar presente (foi representado pelo filho André Bastos Gurgel) na Sessão Solene da Câmara Municipal de Fortaleza, realizada no dia 17, na qual era um dos homenageados pelo Conselho Regional de Economia do Estado do Ceará.
  • "Bota-fora" para a professora e jornalista Mirna Gurgel, que viaja para Galícia, Espanha, onde dará prosseguimento a seu doutorado. Aconteceu a 22, domingo, num apartamento de nossa família na Praia de Icaraí.
  • Retorno de Marcelo a Brasília, onde permaneceu de 25 a 28 de agosto, para participar de uma nova rodada de reuniões no Ministério da Educação.
  • Aniversariantes de SETEMBRO: (11) Elda; (19) Meuris; (21) Vanessa, filha de Fernando e Márcia; (22) André, filho de Marcelo e Fátima.

FERNANDO NOGUEIRA GURGEL


Nasceu no dia 14 de setembro de 1931, na cidade de Senador Pompeu - CE, filho de Francisco Gurgel Valente e Dulce Nogueira Riquet (Valente).
Lembro-me de que, quando adulto, morou em Otávio Bonfim numa casa (hoje inexistente) que ficava no primeiro quarteirão da rua Justiniano de Serpa. Nessa casa, vizinha à de sua mãe, dona Dulce, Fernando e a esposa Rosimar Maria de Lima Gurgel viveram seus primeiros anos de casados. Fernando era à época vendedor da Fábrica Siqueira Gurgel. Algum tempo depois, mudaria de endereço para uma casa no Monte Castelo e deste bairro, finalmente, se transferiria para a Aldeota.
Fundou, em junho de 1965, juntamente com José Gurgel Filho, a Metalgráfica Cearense S/A - MECESA, uma indústria pioneira no Ceará no campo das embalagens e rolhas metálicas. E foi, durante muito tempo, o diretor-presidente da empresa (foto de sua fachada principal) que está situada no bairro Ellery . No período de 1965/68, também presidiu o Usina Ceará Atlético Clube, um time da primeira divisão do futebol cearense e com sede em Otávio Bonfim.
Por seus fortes laços com a Marinha de Guerra do Brasil, iniciados ao tempo em que ingressou na Escola de Aprendizes Marinheiro do Ceará, Fernando Gurgel foi agraciado pelas Forças Armadas com diversos títulos e comendas. Outras instituições também lhe conferiram um grande número de diplomas, medalhas, placas, brasões, troféus (Sereia de Ouro em 1993) e outros títulos honoríficos.
Fernando Nogueira Gurgel faleceu em 12 de fevereiro de 2001, em Fortaleza - CE. Foi uma das figuras mais representativas do empresariado em nosso Estado. Estive com ele, em apenas duas ocasiões, o tempo suficiente para testemunhar a fidalguia com que ele recebia as pessoas.
Paulo Gurgel Carlos da Silva
Links: FIEC, Sereia de Ouro e Mecesa.

OTÁVIO BONFIM - FARIAS BRITO

Sob este título, Leila Nobre postou, em 08/02/10, um artigo a respeito de Otávio Bonfim em seu blog de amor à Fortaleza.
Pincei no artigo esta passagem:
"Aquele pedaço de Fortaleza foi sempre um reduto da Família Gurgel. Se não era parente, era amigo ou conhecido. Na Rua Justiniano de Serpa, morava D. Dulce Gurgel Valente (1), mãe do Fernando (2), dono da Mecesa, do Flávio, funcionário do DNOCS, da Adélia e da Fernanda."
Notas
(1) Dulce Nogueira Riquet foi o verdadeiro nome da matriarca, apud Aldysio Gurgel.
(2) Foi o "cap" de indústria Fernando Gurgel, que terá o perfil traçado brevemente em "Linha do Tempo".

A SUPER NONI

Retornando de Acarape, onde estivemos visitando tia Tatinha (que se encontra muito enferma), Germano parou o carro em Água Verde, num estabelecimento à beira da estrada. Sugestão de Sérgio. O irmão advogado queria que conhecêssemos os quitutes da casa.
Descemos do veículo. Anoitecia. Éramos ali cinco dos irmãos da família Gurgel Carlos: Luciano, Márcia, eu, além dos já citados Germano e Sérgio.
Enquanto aguardávamos ser atendidos com café, tapiocas e queijo assado, Sérgio nos mostrou uma estranha árvore que existia ao lado do estabelecimento. Era uma árvore de pequeno porte, carregada de frutas também estranhas. Afora Sérgio, jamais tínhamos visto um exemplar da espécie. Tratava-se da noni, uma planta cujas primeiras mudas vieram para o Brasil trazidas das Polinésias Francesas.
Até brinquei dizendo que o pintor Paul Gauguin, em sua temporada no Taiti, devia ter comido muito dessas frutas (além das nativas que ele retratava em suas telas).
Vendo o interesse do grupo pela noni, o dono da casa se apressou em nos dizer que tinha à venda o suco da fruta engarrafado. Não era ele quem o produzia. Pelo rótulo de uma das garrafas, constatei que o produto vinha de Tibau do Sul, Rio Grande no Norte, e que também apresentava algumas "propriedades medicinais". O rótulo não devia relacionar todas, já que o dono da casa, respaldado em sua experiência pessoal, cuidava de aumentar a lista dos benefícios da noni para a saúde.
Foi bom conhecer a noni. Mas não comprei daquele suco engarrafado. Médico que sou, preciso saber das evidências científicas antes de acreditar em qualquer remédio.

Aspectos legais e científicos
Em 2004, a FDA (Food and Drug Administration) dos Estados Unidos enviou uma carta de alerta à empresa Flora, Inc., devido às promoções desta no seu website sobre o sumo de noni (no Brasil, suco de noni), no contexto de vários testemunhos e reivindicações de estudos científicos. A FDA não aprovou, no que respeita a efeitos médicos ou terapêuticos, o sumo de noni e das substâncias a ela relacionadas. Na União Europeia, o sumo de noni está registrado como ingrediente alimentar e, segundo o documento dessa decisão, o comitê científico da alimentação humana, perante os dados que lhes foram fornecidos, concluiu que o sumo de noni não é superiormente benéfico para a saúde quando comparado a outros sumos de frutas.
Este registro como ingrediente alimentar é válido apenas para o sumo de noni, não abrangendo quaisquer outros produtos alimentares feitos a partir de noni. Portanto, é proibido, por lei, vender outros produtos alimentares feitos a partir desta planta e fruto. É também ilegal reivindicar qualquer efeito médico ou terapêutico, de qualquer produto derivado de noni na União Europeia, uma vez que não foram aprovados pelas autoridades competentes.
O significado legal da classificação de noni como suplemento dietético, deve-se ao fato de a classificação como remédio exigir a realização de estudos que mostram segurança e, principalmente, eficácia de um produto para o tratamento de alguma doença. É possível que com o tempo, princípios ativos sejam isolados do fruto e, que estes (como a xeronina, por exemplo), sejam testados para o tratamento de patologias, mas até o momento não há um número suficiente de estudos demonstrando eficácia no tratamento de patologias para as quais este sumo vem sendo recomendado. Estudos in vitro e em camundongos sugerem que o uso de componentes de noni possam ser úteis no tratamento de diversas patologias, mas esses dados ainda não podem ser transpostos para o uso clínico.

JULHO DE 2010

  • Dia 15, Marcelo Gurgel fez a apresentação do livro "MARACANAÚ - Paisagens e Memórias", da escritora e fotógrafa Tânia Albuquerque, em concorrida solenidade de lançamento no Ideal Club. Marcelo é também o autor do Prefácio do referido livro.
  • Os dias 17 e 18 foram de festa e de confraternização para os cidadãos de Aurora. A AFA (Associação dos Filhos e Amigos de Aurora), com o apoio da Prefeitura de Aurora, realizou o seu 1º Encontro nessa cidade da região do Cariri. Estiveram presentes ao acontecimento: Moacir Pinto e Zaíra, suas filhas Elba e Denise Macedo; Sérgio Gurgel e Solange, sua filha Germana Quezado.
  • Luciano e Elsa, com as filhas Marina e Diana, estiveram nos Estados Unidos durante 18 dias. Foram ciceroneados pela filha Lia e pelo genro Odilon, que residem lá atualmente. O passeio da família incluiu as cidades de Nova Iorque, Boston, Filadelfia e Washington.
  • Aniversariantes de AGOSTO: (2) Érico, filho de Paulo e Elba; (15) Germano e Luciano Gurgel (irmãos gêmeos).

O BLOG DA LARISSA

Nossas boas vindas na blogosfera ao Fisioterapia Veterinária, o blog da Dra. Larissa Gurgel Adeodato. Como o nome do diário eletrônico indica, ele é dedicado a temas de Fisioterapia e Reabilitação Animal, uma das especialidades da Medicina Veterinária.
A Dra. Larissa, responsável pelo blog, é formada em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), tendo participado de curso na área de Fisioterapia Veterinária, organizado pelo Instituto Brasileiro de Reabilitação Animal (IBRA), na cidade de São Paulo, e também estagiado no setor de Fisioterapia de Pequenos Animais em duas unidades do IBRA.
Atualmente, ela realiza atendimentos domiciliares e em clínicas e hospitais veterinários de Fortaleza.

FALANDO COM ARTE - 2

Marcelo Gurgel lança hoje o seu 56º livro, "FALANDO COM ARTE: os meus, os seus, os nossos discursos", pela Editora da Universidade Estadual do Ceará.
A obra será apresentada pelo Deputado Federal Mauro Benevides, membro da Academia Cearense de Letras.
Todos estão convidados.
+ informações
Data: 23 de julho de 2010 (sexta-feira), às 19h30.
Local: Célula de Arte e Cultura da Unicred Fortaleza (Av. Dom Luiz, 300, loja 166).
Importante: A renda integral desse lançamento será destinada às atividades culturais da Academia Cearense de Medicina.

Post scriptum
Link para a nota em que Marcelo descreve em seu blog como transcorreu a festa de lançamento do FALANDO COM ARTE e registra seus agradecimentos a dirigentes e funcionários da Unicred Fortaleza que ajudaram a realizá-la.

REFERÊNCIAS DO BAIRRO OTÁVIO BONFIM

Nome oficial: bairro Farias Brito
Localização: município de Fortaleza (CE)
Área: 1 km2 (entre os bairros Jacarecanga, Monte Castelo, São Gerardo, Parque Araxá, Rodolfo Teófilo, Benfica e Centro)
População: 13.500 habitantes (0,05% da população do município)
Referências:
  1. Estação Ferroviária de Otávio Bonfim
  2. Fábrica Siqueira Gurgel
  3. Igreja de Nossa Senhora das Dores
  4. Cine Familiar
  5. Jardim Japonês
  6. Sede da Secretaria Executiva Regional I
  7. 3ª Delegacia da Polícia Civil
Observação - 1, 2, 4 e 5 foram suas referências no passado.

Vídeo da série "Meu bairro na TV" produzido pela Televisão Verdes Mares.

PRÊMIO DE DRAMATURGIA PARA MARCELO

A Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult- CE) divulgou, em 07/07/10, os resultados para todas as categorias do PRÊMIO LITERÁRIO PARA AUTOR(A) CEARENSE.
Marcelo Gurgel foi o vencedor na Categoria Dramaturgia, com o livro inédito “Revelações de um Maquisard”, uma peça teatral em dois atos, ainda não representada. A ele coube, portanto, pela referida peça teatral, o Prêmio Eduardo Campos (registrar que treze trabalhos foram inscritos nessa categoria).
A premiação geral também incluiu, inicialmente, outro livro de Marcelo Gurgel, na Categoria Contos; porém, como o edital da competição não permitisse a um concorrente receber mais de um prêmio, mesmo em diferentes categorias, a Secult-CE o transferiu para um livro de outro autor.
Parabéns a este membro da família Gurgel Carlos cuja pena literária continua a brilhar.

RAFINHA 1.0

Rafael Adeodato Vieira, filho de Melissa e Fernando, comemora hoje o seu primeiro ano de vida. Não podendo estar presentes em sua festinha, Elba, Natália, Érico, Raíssa, Matheus e eu (Paulo) do Ceará lhe mandamos um "abraço transestadual". Feliz aniversário, Rafael!
Agora é aguardar os detalhes dessa festa campineira que você certamente vai pôr em seu blog.


JUNHO DE 2010

  • Marcelo Gurgel discursou no Instituto do Câncer do Ceará (ICC), em 04/06, e no Departamento de Cirurgia da UFC, em 07/06. Nas duas oportunidades, ele discorreu sobre a vida, a obra e o legado do Prof. Haroldo Gondim Juaçaba, considerado um dos maiores médicos do Ceará, e que, um ano após sua morte, estava sendo reverenciado nas duas instituições.
  • Registro o recebimento de uma das cópias do DVD "I CarnaLívia", registro audiovisual do primeiro aniversário de Lívia, filha do casal Wilson-Ivina. Ele é um dos Botelho Ramos do bairro Otávio Bonfim.
  • Na noite de 24, foi lançado nas dependências da Unicred Fortaleza o livro "Reflexões Espinhosas", organizado por Oziel de Souza Lima e Dalgimar Beserra de Menenes. Das cem crônicas produzidas por médicos, e que compõem essa coletânea, três delas foram escritas por Marcelo Gurgel.
  • Aniversariantes de JULHO: (3) Rafael, filho de Melissa e Fernando; (7) Magna Gurgel; (9) Marta, filha de Germano Gurgel e Maysa Portanski; (10) Leonardo, filho de Marta Gurgel e João Evangelista; (23) Sérgio, filho de Sérgio Gurgel e Solange Quezado.

DIANA, A ESCRITORA

Estreia como escritora Diana Cavalcante Gurgel Carlos, aluna do Curso de Psicologia da UFC. Ela é uma das irmãs gêmeas (a outra é a Marina, que cursa Medicina na UFC), que são filhas do casal Elsa - Luciano Gurgel.
Participa a jovem Diana destas duas coletâneas:
  • "Direitos Humanos de Crianças: Aprendizagens Compartilhadas", uma obra publicada em comemoração aos 25 anos ininterruptos de atividades do Núcleo Cearense de Estudos e Pesquisas, o NUCEPEC/UFC.
  • "Livro B" (de brinquedo, bombom, boneca, bola, bila, balão, bicicleta, beijo...), o qual contém contos, crônicas, poemas, desenhos, fotos e uma peça de teatro.

FALANDO COM ARTE

O médico, professor universitário e polígrafo Marcelo Gurgel Carlos da Silva é também um cultor da Retórica, com mais de cinquenta discursos escritos. Uma parte de seus discursos ele acaba de reunir em um livro, intitulado FALANDO COM ARTE, que foi publicado sob os auspícios da Universidade Estadual do Ceará (UECE).
Este livro, que tem o prefácio do deputado federal Mauro Benevides, membro da Academia Cearense de Letras, do Instituto de Ceará e da Academia Cearense de Retórica, e que apresenta, ainda, um texto do autor/retor, à guisa de apresentação, é constituído por um total de 25 peças oratórias, assim agrupadas:

PARTE I - SOLENIDADES OFICIAIS, com 7 discursos
PARTE II - LANÇAMENTO DE LIVROS, com 10 discursos
PARTE III - SAUDAÇÕES, com 4 discursos
PARTE IV - HOMENAGENS PÓSTUMAS, com 4 discursos
PARTE V - APÊNDICES 1 (com a relação dos discursos publicados no livro Via Literarum) e 2 (com a relação dos discursos a publicar em outros livros).

Transcrito do blog EntreMentes

COMENTÁRIOS

Sobre a postagem "Há 20 anos..." no blog Entrementes
Caro irmão Paulo e querida sobrinha Natália,
O "seis de junho" é um grande dia "D", e não só pelo desembarque na Normandia, mas também para vocês, que acharam por bem desembarcar no mundo terreno, largando o aconchego do "mãe do corpo".
Há 170 anos, nesse dia, nascia para a vida eterna S. Marcelino Champagnat, compondo uma feliz coincidência que conferia feriado escolar no Colégio Cearense, permitindo a que Paulo passasse o aniversário em casa.
Faz 70 anos que o maquisard Luiz, nosso "pai-herói", esteve no L'Ermitage participando da celebração do Centenário de Champagnat.
Felicitações maristas.
Marcelo Gurgel
Paulo e Natália,
Hoje é dia de frio, seis de junho numa serra enevoada de Minas. Ainda na cama, eu e Conchita defendidos por um cobertor envelhecido, tomo o netbook da cabeceira (também gosto de coisas novas ) e vejo que hoje é calor no Ceará, é dia de muitos abraços e daqui mandamos os nossos. Como se diz em espanhol, somos “maniáticos”, gostamos de coisas velhas e calorosas: cobertores e amizades. Que nos tenham presentes com vocês no dia do seu aniversário.
Nelson e Conchita
Paulo e Natália,
Sei que vocês passaram o dia escondidos, evitando os parabéns que seriam muitos. Não esquecemos de vocês. Aqui, juntos no famoso café da dona Eldinha, nós, os irmãos e a mamãe, enviamos aquele abraço, cheio de carinho e de votos de felicidades.
Márcia, Nando, dona Eldinha e outros

HÁ VINTE ANOS...

... nascia Natália
Nasceu hoje (6 de junho de 1990) na Maternidade-Escola Assis Chateaubriand, aos primeiros minutos do dia, a filha de Elba e Paulo Gurgel, que receberá o nome de Natália. Forte, chorando idem (até o momento sem parar), a recém-nascida fará companhia, heranças à parte, ao irmão mais velho Érico. A data de seu nascimento, uma feliz coincidência com a data de nascimento de seu pai (exceto o ano), dará ensejo, daqui em diante, a que ambos ganhem presentes com festa conjunta de aniversário. E, para que isso se tornasse realidade, contaram os pais de Natália com a cumplicidade do obstetra, Dr. Eduardo, que imprimiu um ritmo mais lento à operação cesariana iniciada na noite anterior. A redação deste jornal (*) faz votos de congratulações aos pais e também augura que os mesmos não sejam trocados na saída da maternidade.

(*) O POVO, onde a notícia não foi publicada. Mas o blog Linha do Tempo, vinte anos após, repara essa falha.

MAIO DE 2010

  • A jornalista Márcia Gurgel já planeja a festa de aniversário (80 anos) de Elda Gurgel, a acontecer no mês de setembro. O local escolhido para a festa em que será comemorado o aniversário da matriarca de nossa família é o salão de festas do Edifício Maranello.
  • De 20 a 22 de maio, o médico e professor Marcelo Gurgel esteve em Brasília para participar do XIII Conclave da Federação Brasileira de Academias de Medicina. Durante o evento, lançou o livro “I Congresso Brasileiro de Médicos Católicos: textos e contextos”, obra recém-organizada por ele.
  • Aniversariantes de JUNHO: (3) Larissa, filha de Fernando e Márcia; (6) Paulo Gurgel e Natália, filha de Paulo e Elba; (25) Elza Gurgel; (30) Germana, filha de Sérgio e Solange.

UNILAB

Na nota sobre Redenção, a terra natal de meu falecido pai, Luiz Carlos da Silva, comentei en passant sobre a futura Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).

Fotografia do futuro local da Unilab
na margem da estrada Acarape-Redenção
tirada por câmera de telefone móvel

Essa universidade, a ser sediada no município de Redenção, é uma das quatro instituições de ensino, em fase de implantação no Brasil, que estão fundamentadas no princípio da cooperação internacional. As outras três são: duas no Rio Grande do Sul e uma na fronteira do Brasil com a Bolívia.
Em 14 de maio, foi finalmente assinada a ordem de serviço que dá início à construção das obras da Unilab. Quando em pleno funcionamento essa universidade terá uma capacidade para cinco mil alunos.

O BONDE ALAGADIÇO

Artigo de Dr. Zenilo Almada, publicado no Diário do Nordeste em 8 de junho de 2003. Integrou uma série de 12 artigos sobre os bondes de Fortaleza, escritos por esse advogado e publicados aos domingos no citado jornal, nos anos 2002 e 2003, e que depois foram reunidos (acrescidos de comentários) na página eletrônica A Ferrovia na Rua.

"Hoje vamos recordar o bonde que fazia o maior percurso de linha. Vamos nos transportar ao lado oposto da cidade, ou seja, zona Oeste no aprazível bairro do Alagadiço, conhecido por seu mangueiral, cajual, bananeiral e outras fruteiras próprias daquele solo.
Como em quase sua totalidade as linhas servidas por bondes elétricos saíam da Praça do Ferreira, com raras exceções, como é o caso da Prainha e da Praia de Iracema.
O bonde Alagadiço saía da Praça do Ferreira, seguia pela Rua Major Facundo, até alcançar a Rua Clarindo de Queiroz, percorrendo-a até encontrar a Rua Dona Tereza Cristina, hoje Tereza Cristina; dobrava à esquerda (um quarteirão do Mercado São Sebastião) até chegar na Rua Meton de Alencar, quando em direção à direita contornando o Mercado São Sebastião, tomava a Rua Juvenal Galeno (1a seção); Farias Brito - em frente à Igreja de Nossa Senhora das Dores, Av. Bezerra de Menezes até a Igreja São Gerardo (2a seção); daí em diante ainda pela Av. Bezerra de Menezes até o Colégio Santa Isabel - próximo à Escola de Agronomia era a 3a seção e última. Por ser a linha mais extensa de todas, o bonde estava sempre superlotado. Os bancos quase sempre com excesso de sua capacidade. Muita gente segurando nos balaústres - com os pés nos estribos (plataforma ou degrau), com certo perigo de vida, aguardando a chegada das seções seguintes para conseguir assento nos bancos.
Nos idos dos anos 1940, era costumeiro ao cair da tarde, quase todas as pessoas que trabalhavam no Centro e que moravam nos bairros de Farias Brito, Otávio Bonfim, São Gerardo e Alagadiço, adquirirem nas padarias situadas nas diversas ruas centrais, pães, bolachas, biscoitos - ainda quentes do forno com inconfundível, agradável e denunciador aroma, que aguçava logo o apetite de qualquer um! Ah tempo bom! Das inigualáveis bolachinhas “Ceci”, feitas com “leite condensado da Holanda”, vendidas na Padaria Duas Nações - cujo proprietário - o distinto português, pai do nosso amigo - desembargador Raimundo Bastos."
(...)
Continue a ler aqui.

ABRINDO O SACOLETRAS

O livro "Sacoletras", de Elsie Studart Gurgel de Oliveira, cuja edição foi organizada por Marcelo Gurgel "à revelia da escritora", é também uma fonte de informações sobre o bairro Otávio Bonfim e a família Gurgel Carlos.
Notadamente nos seguintes capítulos do livro:
  • O Otávio Bonfim dos Velhos Tempos
  • Fique por Dentro: Otávio Bonfim
  • Trocando em miúdos
  • Frei Lauro Amigo
  • Descansa em Paz, Frei Humberto
  • Marcelo Gurgel: um cidadão acima de qualquer suspeita
  • A Face Religiosa de Waldemar Alcântara
  • "Flashes" de uma existência
  • Convite Gemelar
Este último é um bem-humorado poema de Elsie Studart em homenagem ao cinquentenário de nascimento de Germano e Luciano Gurgel Carlos da Silva, cuja festa conjunta aconteceu no Buffet Bougainville, em 11 de agosto de 2007. Ver mais sobre esse assunto em Duplo jubileu, nota publicada em EntreMentes.

ONDE ANDA MARCELO - 3

Agora está em São Paulo - SP, onde participa do Fórum de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, patrocinado pela CAPES, que acontece na Faculdade de Saúde Pública da USP, nos dias 3 e 4 de maio. A seguir, Marcelo Gurgel vai ao Rio de Janeiro - RJ, onde, atendendo a convites, proferirá três conferências. A primeira, na Academia Cearense de Ciências, Letras e Artes do Rio de Janeiro, sobre “Capistrano de Abreu”, em 5 de maio, ocasião em que será empossado como “Membro Honorário” da entidade; a segunda exposição será no dia 6 de maio, pela manhã, na Faculdade de Medicina da UFRJ, versando sobre “Epidemiologia do Câncer de Mama”; e a terceira, na tarde desse mesmo dia, a acontecer na Academia Brasileira de Médicos Escritores, quando falará sobre “Os médicos literatos do Ceará”.

ABRIL DE 2010

  • Mirna Gurgel escreveu dois artigos para as coletâneas produzidas pela Secretaria Estadual da Educação, a partir das experiências e reflexões de seus professores/autores, e que foram lançadas no dia 12, na Arena Cultural do Centro de Convenções, por ocasião da IX Bienal do Livro do Ceará.
  • No dia 17, foi comemorada a nova idade de Matheus (4 anos) em seu apartamento no Meireles. No dia 18, foi a vez de Mirna receber a família em sua residência para festejar a sua data natalícia.
  • Aniversariantes do mês de MAIO: (3) Sérgio Gurgel, (11) Felipe, filho de Marcelo e Fátima, e (16) Lia, filha de Luciano e Elsa.

O LADO "GURGEL" DE DR. VINICIUS

"Meu caro Fernando,
Conheci o seu amado pai há 35 anos, antes mesmo de ser aluno dele, na condição de representante estudantil do Departamento de Saúde Comunitária, ao qual ele estava vinculado funcionalmente.
Nos últimos seis anos, a literatura e a história da medicina nos deixaram mais próximos, quando pude desfrutar das visitas que eu fazia aos seus pais, na residência de sua família, e, lamentavelmente, também, acompanhar o declínio de sua higidez.
Ele gostava de fazer referências ao seu lado “Gurgel”, sobrenome terminado em sua genitora e a ele não transmitido, o que nos colocava em uma relação de parentesco.
Compartilhei com ele a maioria dos meus livros publicados entre 2004 e 2009, dos quais ressalto o que organizei como homenagem póstuma ao meu pai, na passagem dos noventa anos, se vivo fosse.
Recordo que dei uma grande alegria ao Dr. Vinicius, estampada em seu semblante, porque consegui achar o primeiro texto que ele publicara, ainda na adolescência, que me pedira, aproveitando que estava eu à cata da produção literária de meu pai na década de trinta. Era uma crônica sobre as festas juninas, que foi publicada na Revista Verdes Mares.
Ele conhecia bem o meu pai, porquanto foram contemporâneos no Colégio Cearense.
Os agradecimentos, pelo que escrevi sobre o seu pai, são, para mim, uma demonstração inequívoca da polidez com que o Dr. Vinicius incutiu em seus desdobramentos celulares. Não sei se sou merecedor, pois creio que ele bem merecia palavras traçadas por melhores escribas do que eu.
Os textos anexos, com algumas poucas correções de digitação, podem ser editados pelo Adriano; porém gostaria de ser informado do endereço eletrônico para acessar(1). Um deles(2), o lido ontem, foi postado em meu blog; o outro(3), lido nas exéquias, será publicado, a pedido da sua prima Adrianna, no Boletim da Sociedade Médica São Lucas (4), que deve circular nos próximos dias.
Com um abraço,
Marcelo Gurgel"

(resposta de Marcelo nos comentários de seu blog a Fernando Barros Leal)

É PARA O FANTÁSTICO?

No sábado passado (10/04) à noite, quando se encontrava com amigos num dos points do entorno do Centro Cultural Dragão do Mar, Natália teve a oportunidade de conhecer o ator Lázaro Ramos.
O ator vem percorrendo o Brasil, realizando entrevistas de pessoas consideradas interessantes para O Curioso, um dos quadros do Fantástico. Em sua bagagem de gravações, Lázaro incluiu uma sessão de perguntas e respostas com a turma de Natália.

Emerson, Airlan e Natália - com Lázaro:
Rodrigo, o namorado dela, clicou.

Se ela vai sair no Fantástico... ah, eu não sei informar. Mas na blogosfera eu garanto.

LANÇAMENTO DO LIVRO "I CONGRESSO BRASILEIRO DE MÉDICOS CATÓLICOS"

O auditório do Centro Cultural Oboé esteve ontem (8 de abril) lotado para o lançamento do livro "I CONGRESSO BRASILEIRO DE MÉDICOS CATÓLICOS - Textos & Contextos".
Organizado por Marcelo Gurgel, este livro é composto pela republicação dos anais do referido congresso (realizado em Fortaleza, em julho de 1946), por ensaios de vários colaboradores e pelas biografias dos organizadores, expositores e principais participantes do congresso.
Monsenhor Manfredo Ramos, diretor da Faculdade Católica de Medicina, e que escreveu o prefácio da obra, foi também o apresentador da mesma na noite de autógrafos.
No curso da sessão, houve ainda uma homenagem especial à artista plástica Heloísa Juaçaba, viúva do renomado cirurgião Dr. Haroldo Juaçaba. Dona Heloísa, em seu currículo de pianista, inclui a execução do Noturno nº 2 de Chopin em uma das sessões solenes do I CBMC.

Toda a renda obtida com os exemplares vendidos, na noite de lançamento do livro, foi destinada por Marcelo à retomada das obras de construção da Igreja de São Francisco de Assis, em Jacarecanga.

MARÇO DE 2010

  • Marcelo teve o aniversário natalício comemorado a 14, em família, no apartamento de Mirna, no bairro Salinas. Na ocasião, distribuiu com os irmãos alguns exemplares do "Sacoletras", um livro recém-organizado por ele a partir de escritos de Elsie Studart.
  • Aniversariantes do mês de abril: (2) Marcela, filha de Sérgio e Solange, (17) Matheus, neto de Paulo e Elba, e (18) Mirna.

BELO ENTARDECER NO SERTÃO INVERNOSO

JOSÉ SIMÕES DE ALBUQUERQUE

VEJO, AO PERCORRER NUMA ESTRADA...
A NATUREZA VERDE, VIVA E BELA...
BELO ENTARDECER...
VERDE A ESPERANÇA...
CAMPOS VERDEJANTES...
PLANTAÇÕES NOVAS...
ORA TRANSFORMADAS...
HORIZONTE, COM NUVENS ESCURAS E CARREGADAS...
CHUVAS AO PERCEBER E SENTIR...
EFEITO FLORIR, COMO DIZ ALMIR SATER...
EMOÇÃO NO CORAÇÃO...
ÁGUAS ABUNDANTES, CORREM, E SE APRISIONAM PARA O BEM...
CHEIRO DE MATO VERDE...
CHEIRO DE CHUVA...
FÍSICA ELÉTRICA (RELÂMPAGO E TROVÃO)...
MEMÓRIA DA INFÂNCIA, DO TORRÃO NO SERTÃO...
O CÉU CORTINADO...
O SOL ACALMADO PELA NUBLAGEM...
AO LADO, OBSERVO O ARCO-ÍRIS, CORES VIVAS E BELAS, COM AS QUAIS O GRANDE ARQUITETO-DEUS PINTOU SUA OBRA...
ANIMAIS E VEGETAIS SE RENOVAM, FAZEM SENTIR ESTE MOMENTO...
PÁSSAROS ENTOAM CANTOS DE LOUVOR...
HÁ UNÍSSONO DE FELICIDADE COMPARTILHADA, NESTA NATUREZA VIVA...
HOMEM! TENS ISTO A FAVOR DA TUA SOBREVIVÊNCIA, PRESERVA-A PARA TE MANTERES VIVO...

O médico e amigo José Simões, que residiu em Otávio Bonfim, enviou-me este poema para publicação. Foi inspirado em suas observações na estrada de Canindé a Santa Quitéria, em abril de 2006.

ANA MARGARIDA NA SOBRAMES CEARÁ

A médica Ana Margarida Arruda Rosemberg (na foto) foi recentemente admitida nos quadros da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores (Sobrames) - Regional do Ceará. E coube a Marcelo Gurgel, na qualidade de amigo e conhecedor da obra de Ana Margarida, fazer a sua apresentação aos associados da Sobrames no Ceará.
Pneumologista e historiógrafa, Ana Margarida, que é viúva do renomado pneumologista José Rosemberg, enobrecerá com suas ideias e conhecimentos a sociedade literária que acaba de recebê-la.
Na apresentação, Marcelo ressaltou o fato de Ana Margarida ter sido, no Ginásio Maria Goretti, amiga e colega de nossa irmã Marta, que faleceu precocemente aos 29 anos de idade.

Aqui, para ler o discurso com que Marcelo Gurgel
apresentou a nova associada na Sobrames - Ceará.

CARLOS MAURÍCIO DE CASTRO COSTA

Ao ler o Blog do Marcelo Gurgel, eu tomei conhecimento da morte, ocorrida ontem (15/03/10), do Prof. Dr. Carlos Maurício de Castro Costa, o colega Carlos Maurício, que fez parte da minha turma de graduação em Medicina pela Universidade Federal do Ceará (UFC), no ano de 1971.
Com formação pós-graduada (Especialização, Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorados) em Louvain / Leuven, na Bélgica, Carlos Maurício era Professor Titular de Neurologia e Neurofisiologia da UFC. Foi um dos pioneiros no estudo da dor no Ceará e detinha vasta experiência na área da Medicina, com ênfase em Neurologia, e com atuação nos seguintes temas: HTLV, Comportamento Experimental e Dor Neuropática.
Ex-seminarista, conhecedor de doze idiomas (sendo fluente na maioria deles), Carlos Maurício era também um grande apreciador de música erudita. Um de seus irmãos, o Claudio Costa, é um inigualável violonista que temos no Ceará.
Por longos seis anos, fomos colegas no curso que nos graduou em Medicina. E, por décadas, moramos em bairros vizinhos de Fortaleza - em Otávio Bonfim (minha família) e no Parque Araxá (sua família). Essas duas situações deram ensejo a que me tornasse um profundo admirador de Carlos Maurício, de suas excepcionais qualidades humanas e por tudo que ele representou para a ciência e a cultura em nossa terra.
Transcrevo, ainda, esta mensagem de pesar que Marcelo Gurgel pôs em seu blog:
"Seu desaparecimento prematuro, no auge de sua capacidade intelectual, deixa uma lacuna de difícil reposição, para a comunidade científica e médica, e uma imensa dor, de natureza intangível, para aqueles que tanto o amavam
Descansa em paz, pequeno gigante."
Post scriptum
A família de Carlos Maurício de Castro Costa convida parentes e amigos para a Missa de 7º Dia, a ser celebrada às 19 horas, desta 3ª-feira, dia 23, na Igreja Cristo Rei, localizada à Rua Nogueira Acioli, 805, em Fortaleza.

O LANÇAMENTO DO SACOLETRAS

Cópia da postagem de 12/03/10 do Blog do Marcelo Gurgel
"Hoje (12/03/10), no Instituto do Câncer do Ceará (ICC), fiz a apresentação do livro “Sacoletras: um sacolão de consoantes, vogais, pontos, vírgulas e ...”, de Elsie Studart Gurgel de Oliveira, lançado, sem qualquer divulgação pública, e de surpresa para a própria autora.
O livro reúne parte da produção literária, contemplando diferentes gêneros: contos, ensaios, crônicas, discursos etc., de autoria da Profa. Elsie, incluindo artigos publicados em diferentes veículos e outros até então inéditos.
A escolha dos textos, a montagem e a editoração dessa obra foram da nossa total responsabilidade, dado que tudo foi empreendido à revelia da escritora, que, por sua conhecida modéstia, certamente, tentaria barrar essa nossa intervenção, o que privaria os leitores de ter o contato direto com uma substancial seleção de seus escritos, ora entranhados na citada coleção."
Comentário
Parabéns a Marcelo Gurgel por este empreendimento literário, que reuniu uma parte dos escritos da Profa. Elsie Studart, e... por se encontrar também aniversariando hoje (13/03).
Paulo

MINHA SUPERFATURADA BICICLETA

O meu sonho infantil de possuir uma bicicleta andava cada vez mais difícil de virar realidade. Não era do feitio do velho - nem, talvez, suas posses pudessem permitir a generosidade - dar valiosos presentes a seus filhos. Além disso, ainda estava longe de aparecer a estratégia publicitária que ensinava a gurizada a colocar, nos vários pontos da casa, os lembretes de "papai, não esqueça a minha Caloi".
Por isso, eu já havia fechado questão com os meus botões. Sobre a perspectiva de não sair coelho daquele mato. Se eu quisesse andar numa bicicleta, eu tinha mesmo de fazer o seguinte: alugá-la a hora.
Bicicleta de locação era sempre muito velha, de carregação. Lembro-me de que quando alguém saía à rua, montado numa delas, ouvia logo maldosos comentários. Do tipo "basta chover que os caranguejos aparecem". Mas foi nesses "caranguejos" que eu aprendi a dar minhas pedaladas, a tirar as mãos do guidão e a fazer outras proezas.
Aí pelos anos 60, cansei de pegar carona na bicicleta de Paulo Roberto. O "Brilhantina", como era o meu amigo apelidado (em virtude do excesso de "Glostora" na vasta cabeleira), não me faltava com a carona, ao término das aulas diárias no Colégio Cearense do Sagrado Coração. Antes do meio-dia, lá vínhamos os dois em desabalada carreira pela Duque de Caxias - numa só bicicleta! Com o perigoso detalhe de que a bicicleta de Paulo Roberto não tinha freio. Por descaso ou por busca de emoção barata, até hoje não sei bem. Sei apenas que, para freá-la, o colega encostava a sola do sapato no pneu dianteiro da bicicleta e o pressionava "de com força".
Um dia, compramos, de parceria, uma velha bicicleta que estava à venda por dois mil cruzeiros. Mil meu com mil dele (sei do cacófato). Gastamos, a seguir, ainda alguma grana para restaurá-la porque a idéia era revendê-la por um preço maior. E foi um grande negócio. Pois a "magrinha" acabou sendo vendida por dois mil e quinhentos de entrada, mais três prestações de igual valor. Embora Paulo Roberto não me tenha repassado a parte que me cabia na última prestação. Apenas me comunicou que resolvera dispensar o comprador de fazer o último pagamento. E uma crise de consciência pelo excesso de lucros foi o motivo alegado.
Em meio aos acertos de contas com a transação, recebi do meu sócio um blusão vermelho com gola e punhos pretos. Muito apropriado para dirigir lambreta. Mas foi vestido com ele que eu enfrentei o calor senegalesco dos estúdios da televisão local em um programa de perguntas patrocinado pelo Alumínio Ironte, ao qual fui para responder sobre Geografia. E o candidato aqui estava bem preparado para responder sobre os afluentes da margem direita do Rio Amazonas, as cidades da Finlândia, a altura do Monte K2, porém o que fez comigo o Augusto Borges. Mandou-me uma pergunta capciosa englobando alguns conceitos geográficos. E, não podendo ser socorrido pelo decoreba, eu "dancei" no ato.
Este insucesso, porém, não me impediu de circular, no dia seguinte, pelas ruas centrais de Fortaleza. Com o blusão a ajudar, junto à memória das pessoas, na operação de rescaldo dos meus quinze minutos de fama na televisão.
No Sítio Catolé, em Senador Pompeu, onde eu costumava passar as férias, existia - trancada num quarto a cadeado - uma bicicleta de fabricação estrangeira. Eu é que não me atrevia a tomá-la emprestada para ir à cidade. Ela pertencia a Tio Raimundinho, um solteirão cheio de manias e ciumento de seus objetos pessoais. E, para o meu tio, aquela bicicleta era "a joia principal da Coroa". Corria inclusive a história de que ele, quando ia à cidade, não a usava em todo o trajeto. Qualquer aclivezinho besta, ele já desmontava da bicicleta e a empurrava. E não era por falta de condicionamento físico, não. Era para não forçar a catraca.

FEVEREIRO DE 2010

  • No dia 9, foi comemorado no buffet Ôba-Lá-Lá o primeiro aniversário de Lívia, filha de Ivina e Wilson Ramos. A festa, que teve como tema o carnaval, contou com a presença do Rei Momo acompanhado de seu séquito. Todos os convidados mirins compareceram devidamente fantasiados ao "CarnaLívia". E foi uma feliz oportunidade para que nos reencontrássemos com os Botelho Ramos, um das famílias com que convivemos em Otávio Bonfim.
    Érico, Wilson, Ivina, Lívia e Igor
  • Aniversariantes de março: (2) Leonardo e (31) Luiz Otávio, filhos de Liduína e Leonardo Gurgel, (9) Rafael, filho de Isabel e José Gurgel, (13) Marcelo Gurgel e (31) Melissa, filha de Márcia e Adeodato.

MEMÓRIA - USINA CEARÁ

Usina Ceará Atlético Clube
Este time foi fundado em 1º de setembro de 1949 pelos funcionários da Indústria Têxtil Siqueira Gurgel Companhia Limitada, que ficava no Bairro de Otávio Bonfim, Fortaleza/CE, e tinha como cores oficiais o azul e o branco.
A sua função era promover atividades desportivas entre os funcionários da Siqueira Gurgel, em especial o futebol.
O time disputou o Campeonato Cearense, entre os anos de 1953 e 1964, sempre com boas campanhas. Por pouco não conquistou um título - foi vice-campeão em quatro ocasiões.
Extraído de Memória do Futebol Cearense - Times Operários, por Juvando Oliveira, post do Blog História do Futebol.
03/08/2013 - Atualizando...
O jornalista e escritor JB Serra e Gurgel escreve que a sede social do Usina Ceará, cujo presidente eterno foi Adelmir Gurgel, era na Bezerra de Menezes, ao lado da casa de Zequinha (José) Gurgel. E o local em que os seus jogadores treinavam era o Estádio Theophilo Gurgel, no começo da Duque de Caxias. O Usina Ceará, junto com Ceará, Fortaleza, Ferroviário, Nacional, Calouros do Ar, América, Gentilândia e Maguary, fazia parte da Primeira Divisão do futebol cearense.
Ceará em Brasília, ano XXIV, nº. 252, junho de 2013
19/10/2013 - Atualizando...



Símbolo do Usina Ceará Atlético Clube

LAMBRETA E VESPA

Estes veículos de duas rodas, circulando em grande quantidade pelas ruas das cidades brasileiras, foram uma "coqueluche" nacional, aí pela década de 1960. Havia inclusive uma marchinha de João de Barro, o Braguinha, que animava os carnavais da época com este refrão:
"Corre, corre lambretinha
Pela estrada além.
Corre, corre lambretinha
Que eu vou ver meu bem."

Meus tios Edmar e Espedito, quando jovens, também possuíam essas formas de transporte. Como mostra esta fotografia, de 1963, em que os dois irmãos da família Gurgel Coelho aparecem com elas: Edmar, montado numa Vespa, é o da direita; Espedito, o caçula dos filhos de Paulo e Almerinda, é o da esquerda, o que está numa Lambreta.
De lá para cá, casaram e constituíram famílias. Edmar, que é bancário aposentado, ainda joga futebol de salão na AABB de Fortaleza. E Espedito, que foi vendedor da Siqueira Gurgel e empresário do setor de madeiras, faleceu precocemente.
20/07/2013 - Atualizando...
VESPALOGIA, um olhar animado sobre a evolução da Vespa, de 1944 até o presente.

JANEIRO DE 2010

  • Meuris, que é professora da Unicamp, recebeu em seu novo apartamento em Fortaleza, na noite do dia 17, diversos membros da família Gurgel. A seu lado, o esposo Laerte Antonio. Na ocasião, Márcia Gurgel, irmã da anfitriã, foi homenageada pela mudança de idade.
  • Em 29, Meuris e Laerte foram recebidos para um jantar no "restaurante" Guernica organizado por Fátima e Marcelo Gurgel.
  • Na noite de 30, Elba e eu comparecemos na residência do cantor José Wilson, na Maraponga, onde aconteceu a festa de posse da 1ª diretoria da recém-fundada AFA - Associação dos Filhos e Amigos de Aurora. (Notícia a respeito do evento no site oficial da Prefeitura de Aurora).
  • Aniversariante do mês de fevereiro: (21) Gustavo, neto de Sérgio e Solange.

FAMÍLIAS DE OTÁVIO BONFIM

Objetivando aumentar e diversificar o acervo de informações sobre as famílias de Otávio Bonfim, este blog abre o seu espaço a pessoas que, residindo (ou havendo residido) nesse bairro, queiram aqui publicar textos e imagens a respeito de suas famílias.
Serão, portanto, cá bem recebidas as colaborações dos Botelho Ramos, Camelo Parente, Medeiros Comaru, Sales Rocha, Rocha Alexandre, Castro Costa, Cavalcante Albuquerque, Passos Lima, Acioli, Félix de Souza, Macedo, Teixeira Lima, Martins Brasil, Jucá Nogueira, Marques Nogueira, Bulcão, dentre outros.

REDENÇÃO

A cidade surgiu no século XVII, a partir de um povoamento que deu origem à Vila Acarape, nos sopés do Maciço de Baturité, em sertão cearense.
No ano de 1882, a vila testemunhou a criação da "Sociedade Redentora Acarapense". Em 1º de janeiro de 1883, recebeu a visita de grandes abolicionistas como José do Patrocínio, Liberato Barroso, Justiniano de Serpa, entre outros, que vieram assistir à alforria de 116 escravos do lugarejo. A partir daquele ato, ali não haveria mais escravos e, por seu pioneirismo em libertá-los no País, ganhou a vila o nome de Redenção.
Também em reconhecimento a esse fato, Redenção foi escolhida para ser a sede da recém-criada Universidade Federal da Integração Luso-afro-brasileira (Unilab), que está prevista para funcionar a partir de 2010.

Natural de Acarape (que foi desmembrada de Redenção em 1987), meu pai, Luiz Carlos da Silva, escreveu em sua juventude este soneto em homenagem à Redenção, que foi publicado na "Revista Verdes Mares", do Colégio Cearense do Sagrado Coração, onde ele estudava.

REDENÇÃO

Que grandeza se oculta, ó Redenção
No sacro escrínio de tua memória!
Tu és da pátria fúlgido brasão
E do progresso, a mágica vitória.

Maior que do Ipiranga é tua glória,
Pois extinguiste a negra servidão,
Mácula infame nos anais da História
E a sombra vil no nosso pavilhão.

Teu feito heróico, em laudas de ouro puro,
Qual reluzente espelho cristalino,
Fulge nas asas do imortal futuro!

Eu te amo, ó Redenção, terra bendita,
Arca sagrada, relicário fino,
Ó Verônica de uma raça aflita!

Apud Silva, MGC, 2009, in "Maquis - Redenção na França Ocupada", p. 216-217.