NAS TERRAS DO SENHOR MEU PAI

"Fale de sua aldeia e estará falando do mundo." Dostoievski
O livro NAS TERRAS DO SENHOR MEU PAI, de autoria de João Bosco Serra e Gurgel, trata das histórias e lendas de sua querida Acopiara. Não obstante o escritor, que é também jornalista e dicionarista, ter deixado com 10 anos de idade sua cidade natal, e sobrevivido "nas terras de outros senhores com o gene e o umbigo de Acopiara", para ele, bom acopiarense, esta cidade do sertão cearense é o centro do mundo.
No prefácio da obra, diz Francisco Jaime Gurgel:
"A estação ferroviária era um dos lugares preferidos pela sociedade, por casais de namorados que aproveitavam para espairecer e atualizar o bate-papo. Após a partida do trem, os abastados pegavam suas conduções, um grupo aguardava o caminhão do Lopíssimo para pegar bochecha, outros subiam a íngreme ladeira, manquitolando, investigando e, às vezes, se detendo, por curiosidade, à porta de algumas bodegas, e se espantar com o fartum da cachaça, o cheiro acre e a fumaraça desprendidos pelos lasca-peitos."
Pois bem, esta estação e o trem, partícipes que são de algumas das histórias de NAS TERRAS DO SENHOR MEU PAI, mesmo que tenham morrido ainda é como estarem vivos, por artimanhas da arte da reprodução gráfica. De elementos pictóricos que compunham um quadro (de autor ignorado), na parede da casa de seu primo Luiz Gurgel Brasil, o trem de ferro e a estação de Acopiara foram reviver na capa do livro de narrativas de JB Serra e Gurgel.

FREI FRANCISCO ANTONIO DE SOBRAL

Em 2009, Belchior sumiu. Foi quando o jornalista Jotabê Medeiros deu partida à pesquisa para um livro sobre o artista. Durante anos, ele fez dezenas de entrevistas com parceiros musicais, amigos de infância, familiares e produtores de seus discos. Quando se preparava para viajar para Santa Cruz do Sul – cidade próxima a Porto Alegre, onde Belchior vivia anonimamente –, Medeiros soube da morte do cantor.
O artigo O claustro, no site piauí, foi extraído do primeiro capítulo do livro, a ser publicado em setembro pela editora Todavia. Trata de um período pouco conhecido na vida de Belchior: os três anos que passou como interno no Mosteiro de Guaramiranga, na região serrana do Ceará, durante a adolescência. Foi ali que o artista travou seu primeiro contato com a literatura e a filosofia e habituou-se ao silêncio e à introspecção que marcariam sua trajetória singular até o fim da vida.
Belchior (terceiro da esquerda para a direita) e sua turma na Ordem Menor dos Capuchinhos recebem a visita do presidente Castelo Branco. Foto do arquivo pessoal de Jotabê
Nota
Rebatizados, os frades capuchinhos brasileiros costumavam carregar no novo nome o carimbo de suas origens: o noviço Antonio Carlos Belchior, caso não houvesse desistido da vida religiosa, passaria a se chamar Frei Francisco Antonio de Sobral.

LANÇAMENTO DO LIVRO "HUMOR EM PROSA E VERSO"

Em 26 de maio, Dr. José Luciano Sidney Marques, membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores (Sobrames) e da Academia Cearense de Médicos Escritores (Acemes), realizou a noite de autógrafos do seu livro Humor em Prosa e Verso, no Auditório Frederico Ferreira Gomes da Assembleia Legislativa do Ceará.
O livro, que é o décimo primeiro da carreira literária do autor, foi apresentado pelo colega Francisco Pessoa.
A festa de lançamento contou com shows do músico Carlos Magno e do humorista Lailtinho Brega (na foto).
Crédito: Face do Lailtinho
Ficha técnica de Humor em Prosa e Verso
Autor: José Luciano Sidney Marques
Revisão Gramatical: Profª. Tereza Lúcia Fonteles
Ilustração: Benes
Capa: Rafael Lima Verde
Diagramação: Alexssandro Lima
Projeto gráfico: José Luciano Sidney Marques e Brenno Araújo Santos
Impressão e Acabamento: Expressão Gráfica e Editora
ISBN: 978-85-420-0978-1
Ver também
LANÇAMENTO DO LIVRO "HUMOR NA CASERNA"
BRINCADEIRA TEM HORA

REGULAMENTAÇÃO DO PARQUE DO COCÓ

Uma conquista histórica
Quase 40 anos depois da primeira tentativa de criação do Parque do Cocó, a demarcação oficial de seus limites vira realidade. Por decreto do governador Camilo Santana, o Parque passa a ter limites definidos a partir deste domingo. São 1.571 hectares entre a BR-116, no Anel Viário do Ancuri, até a praia do Caça e Pesca, onde o rio se liga ao mar.
Hoje, a partir das 9 horas, Camilo Santana (PT) assina o decreto de regulamentação do equipamento que passa de 1.155,2 para 1.571 hectares. Um marco histórico para uma reivindicação antiga puxada pelo movimento ambientalista de Fortaleza.
Programação
4/6, às 9 horas – Camilo Santana assina o decreto da demarcação do Parque do Cocó, abre a Semana do Meio Ambiente e faz a entrega da comenda "Amigos do Cocó" para personalidades. Uma delas é o Tenente Araújo, ex-comandante do posto da Polícia Ambiental do Parque. Ele atualmente coordena os passeios de barco pelo rio.
5/6 a 10/6 – Plantio de 600 mudas na área no Parque do Cocó, na área da trilha dos shows na Padre Antônio Tomás. Iniciativa do grupo C. Rolim com estudantes de escolas públicas.
Fonte: Demitri Túlio, Jornal O Povo
Flagrantes da festa
Ex-governador Lúcio Alcântara: o início do Parque do Cocó, ao criar em Fortaleza o Parque Adahil Barreto
Governador Camilo Santana e Prefeito Roberto Claudio: a parceria para  a ampliação e a regulamentação do Parque
Parque urbano, segundo a Wikipédia 
É um tipo de espaço livre de edificações, normalmente caracterizado como espaço público, no qual há tipicamente abundância de vegetação e áreas não pavimentadas, sendo sobretudo localizado numa região urbana. Nele, estabelecimentos industriais e residenciais são proibidos, e estabelecimentos comerciais são normalmente restritos a quiosques.
Um parque urbano propicia lazer e recreação aos habitantes da cidade, assim como uma apropriação lúdica do espaço público. Parques urbanos incluem muitas vezes museus, playgrounds, "laguinho", campos de esportes, jardins botânicos e casas de espetáculos.
Um dos exemplos paradigmáticos de um parque urbano é o Central Park, em Nova Iorque, Outro exemplo semelhante é o Hyde Park, em Londres. Já exemplos bastante conhecidos de parques urbanos no Brasil são o Parque Ibirapuera, em São Paulo, o Parque das Dunas em Natal e o Parque do Cocó em Fortaleza.