CARLOS ALBERTO STUDART GOMES

por Regina Stella Vieira Studart Gomes
Nascido na cidade de Fortaleza, no dia 23 de setembro de 1917, filho de Godofredo Messias Philomeno Gomes e Maria (Balila) Studart Gomes, (1) Carlos Alberto Studart Gomes (fez seus estudos primários com Dona Corina Monteiro e o seu curso secundário no Colégio Castelo Branco, em Fortaleza.
Aos 17 anos, inspirado na admiração pelo médico da família – Dr. Adalberto Studart – seguiu para Salvador, Bahia, a fim de cursar a Faculdade de Medicina. (2) Por motivo de saúde, (3) transferiu-se para Belo Horizonte, onde concluiu a graduação médica pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em dezembro de 1942. Foi interno do Hospital da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais e oficial (2º. tenente) do Corpo de Saúde da Polícia Militar mineira.
Em 1943, ingressou no SEMTA (Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para a Amazônia). (4) Retornando a Fortaleza, foi admitido como médico tisiologista do IPEC (Instituto de Previdência do Estado do Ceará). Nessa época, fez curso de pós-graduação no Sanatório Imaculada Conceição, da UFMG, sob a orientação do Prof. Mário Pires. No mesmo ano, casou-se com Regina Stella, filha de Guiomar Costa Lima Vieira e do Des. Pontes Vieira, e de cujo consórcio teve sete filhos. (5)
Em 1944, foi indicado pelo então presidente do IPEC, Dr. Mozart Catunda, para dirigir o Sanatório de Messejana, cargo que ocupou até a data de sua aposentadoria (1983). Nos 39 anos em que esteve à frente da instituição, (6) Carlos Alberto Studart Gomes (foto) transformou o pequeno sanatório de 20 leitos em um modelar hospital, com 200 leitos, para o tratamento e o diagnóstico das doenças torácicas .
(1) Descendente em linha direta de John William Studart, que deu início à família Studart no Ceará.
(2) Na Bahia, hospedou-se na pensão de Dona Dolores, juntamente com outros cearenses.Não podendo custear as despesas de casa e comida, procurou o pensionato mantido pelo Padre Torran para auxiliar os alunos pobres de curso superior.
(3) Adoeceu de tuberculose, curando-se no Sanatório Valois Souto, de Corrêas - RJ.
(4) Teve problemas com a superintendência do órgão por discordar do péssimo tratamento que era dado aos "soldados da borracha".
(5) João Carlos, Jorge Alberto (Beto), Thais Helena, Arnoldo,Sarah Rosita, Vera Lúcia e Flávio.
(6) Excluídos alguns meses em 1964, quando esteve arbitrariamente preso na 10ª. RM.
Títulos relevantes do currículo
Membro efetivo do Centro Médico Cearense, do qual foi presidente no ano de 1963.
De 1965 a 1968, foi presidente do Centro de Estudos Prof. Manuel de Abreu, do Hospital de Messejana.
Em 1969, foi convidado pela Direção Geral do INPS para estruturar e pôr em funcionamento o Hospital Geral de Fortaleza (HGF).
Em 1982, foi eleito membro titular da Academia Cearense de Medicina, ocupando a Cadeira cujo patrono é o Dr. Lineu de Queiroz Jucá.
Foi membro de diversas associações médicas, dentre as quais se destacam : Associação Internacional contra a Tuberculose, Sociedade Brasileira de Tisiologia, American College of Chest Physicians, American Trudeau Society, Sociedade Cearense de Patologia Respiratória, Sociedade Cearense de Radiologia  e muitas outras.
Apresentou em congressos e publicou em revistas numerosos trabalhos científicos na especialidade.
Autor do livro Sanatório de Messejana (1933–1983) – uma história a ser contada, publicado em 1998.
Fonte
O presente texto, escrito pela Sra.Regina Stella, viúva do Dr. Carlos Studart, e os respectivos aditamentos encontram-se no livro acima citado. PGCS
QUESTIONÁRIO-ENTREVISTA
29/09/2013 - Atualizando...
Amigo Paulo,
Muito obrigado por lembrar-se do papai, homem que também me inspirou, mostrando-me que o trabalho e o respeito às pessoas eram fundamentais para o crescimento e a consolidação de nossos propósitos.
Grande abraço e um bom domingo.
BETO STUDART

Nenhum comentário: