O CÃO QUE CHUPA MANGA E O QUE COME MARIOLA

Ao Sr. Luciano Hortencio:
Cão que chupa manga não é capeta!
A origem da expressão "cão chupando manga" não tem nada a ver com alusões ao demônio. É bem mais curiosa, na verdade. Contam os da geração de meu pai, nascido ainda em 1929, que a expressão surgiu entre os estudantes do ensino fundamental por conta de um cachorro, personagem dos livros didáticos usados naquela época. O cão fazia de tudo no livro, desde o trivial como comer, correr, dormir, até fatos inusitados como chupar manga. A expressão, aqui em Pernambuco, significa alguém capaz de tudo, tão habilidoso quanto o cão do livro do segundo ano, capaz até de chupar manga. Note-se a forma específica do gerúndio, pois no livro, o cão estava chupando uma manga, não tinha chupado nem ia chupar, daí que se diz que Fulano "é o cão chupando manga". Igual ao do livro. Outra expressão menos conhecida, mas relacionada, é "Beltrano é o cão do terceiro livro" que sugeria que se o do segundo livro era tão prendado, avalie-se o cão do terceiro livro do ensino primário. A associação com o demo ocorreu com o tempo, já que o termo cão como sinônimo de diabo é bem mais conhecido do que o personagem do livro didático da primeira metade do século XX.
Silvio Campello
Caro Silvio Campello!
Cão que chupa manga não é capeta nem, muito menos, inusitado.
Eu tinha uma casinha no distrito chamado Campestre, no município de Trairi - Ceará. Antes de ser murado todo o terreno, os cachoros da vizinhança livravam-se do sol da tarde no grande terraço que circundava a casa.
Pois bem. Em época de manga, a gente via praticamente todos os cães levando mangas para saboreá-las no terraço e só a soltavam quando o caroço estava totalmente descarnado.
Era a época em que os cães da localidade ficavam bem mais gordos, lustrosos e felizes.
Luciano Hortencio
Ao cearensólogo Luciano Hortencio:
Esse cão chupando manga guarda alguma relação com o cão comendo mariola?
Paulo Gurgel
Caro Paulo Gurgel!
Fizeste-me vir água à boca e olha que eu nem sou o capiroto. Saudade enorme das antigas mariolas, enroladinhas na palha da bananeira e que vez por outra a gente encontrava um fragmento "mei durim" nela... Seria "preda"?
Sei lá! Só sei que morro de saudade de comer pelo menos uma dúzia de mariolas das "das antigas". Queria também beber três copázios do Pega Pinto do Mundico, pra acompanhar um cabelouro bem cozido. Aliás, diga-se de passagem que fiquei bonito desse jeito às custas de comer cabelouro atrás da porta da sala de jantar.. rsrsrs
Grande abraço do teu conterrâneo,
PS: Não achei sequer uma foto das mariolinhas enroladas na palha da bananeira... Só industrializadas!
Luciano Hortencio
Caro Luciano Hortencio!
O cabelouro cozido e comido atrás de uma porta, enquanto o feioso se concentra na fisionomia de uma pessoa bonita – com a qual quer ficar parecido –, é uma receita acreditada. Mas tem uma dificuldade quase intransponível: ninguém consegue cortar a dentadas esse duro ligamento da nuca do boi. Talvez você já fosse um cabeça-chata apolíneo – muito antes de mascar o seu primeiro cabelouro.
Paulo Gurgel
Ao Paulo Gurgel:
O cabelouro realmente é duro pra dedéu, porém a textura do ligamento da nuca do boi, chamado cabelouro, a gente não consegue cortar a dentadas e sim no puxavante. É só ir separando as tirinhas e comer inteirinhas mesmo. Só que não se pode esquecer que tem que comê-lo detrás de uma porta!
Valeu a pena o sacrifício... rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
Luciano Hortencio
Ao Sr. Luciano Hortencio:
Duas mariolas...
Taturanous

"Tocar na banda / Pra ganhar o quê? / Duas mariolas /E um cigarro Yolanda."
Onde o fórum acima aconteceu:
http://jornalggn.com.br/blog/lucianohortencio/to-com-a-macaca-me-deixa-pular-por-jns-e-luciano-hortencio

2 comentários:

Paulo Gurgel disse...

Transcrevo mensagem recebida:
"Muito bom, amigo, esse Linha do Tempo. Parabéns."
Deodato Ramalho, por e-mail

ACADEMIA CEARENSE DE MEDICINA disse...

Parabéns, Paulo!
Belo resgate da nossa MPB. Gostei de ouvir sobre o cigarro Yolanda.
Abraço
ana margarida