EXPOSIÇÃO EM HOMENAGEM À CARNAÚBA NO PARQUE DO COCÓ

"Corria nos cavalos feitos de talos de carnaúba. De carnaúba era a cadeira, a mesa, as cordas da rede. A casa tinha travejamento, caibros e ripas de carnaúba. Esteiras de carnaúba substituíam os tapetes. Na cabeça, o chapéu de palha de carnaúba. De tarde, batia-me com outros batalhões de meninos, todos  armados com facões de carnaúba." ~ Luís da Câmara Cascudo
A Festa Anual das Árvores de 2018, uma promoção do Governo do Ceará, através da Secretaria do Meio Ambiente (SEMA), foi realizada no Parque do Cocó, em Fortaleza, no período de 18 a 25 de março. Neste ano, o evento homenageou a carnaúba (Copernicia prunifera), a árvore-símbolo do Ceará (Decreto nº 27.413, de 30 de março de 2004), com uma exposição no Centro de Referência da SEMA, contando com o apoio do Memorial da Carnaúba do município de Jaguaruana e tendo como objetivo mostrar para a população cearense a importância econômica e cultural desta árvore nativa do Nordeste.
crédito: PGCS
O processo produtivo da cera de carnaúba envolve três conjuntos de atividades produtivas: o extrativismo, o beneficiamento e o processo industrial, além de atividades comerciais e financeiras desempenhadas por diferentes atores, caracterizando complexas relações sociais e econômicas.
A palha (folha seca), depois da cera, é o produto da carnaúba que tem mais importância, principalmente na produção artesanal. A atividade artesanal existe nos três principais Estados produtores (Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí), onde se aproveita a palha para a confecção de inúmeros objetos como tarrafas, escovas, cordas, chapéus, bolsas, vassouras, cestas, assentos de cadeiras e sofás, colchões, redes e esteiras.
A árvore representativa de cada Estado

Nenhum comentário: