O TIGRE DA ABOLIÇÃO

Foto: PGCS, 08/11/2017
No saguão da antiga estação ferroviária de Acarape-CE, atual sede do Paço Municipal da cidade, encontra-se uma placa com os seguintes dizeres:
Nossa homenagem ao passageiro mais ilustre da Estação de Acarape,
José Carlos do Patrocínio
José do Patrocínio era filho de uma escrava alforriada e, aos 14 anos, deixou a fazenda da família para tentar a vida na cidade do Rio de Janeiro. Em 1877, ingressou na redação de "A Gazeta de Notícias', onde intensificou os ataques à política escravocrata. Na capital do império, o Tigre da Abolição", como era conhecido por sua luta pela abolição da escravatura, veio de trem até pequena Vila de Acarape, acompanhado da Sociedade Libertadora Cearense, onde desembarcou nesta estação para dar o primeiro passo rumo a uma sociedade livre e fraterna, sem distinção de raça e cor.
Nossa cidade, nas palavras de Joaquim Nabuco em carta da Inglaterra afirma: "O Ceará é maravilhoso. Parece incrível que essa província faça parte do império. Acarape é mais do que um farol para todo o país: é o começo de uma pátria livre". Neste momento, Acarape foi destinada por seus filhos a fincar no solo da pátria a semente que germina um sonho de liberdade plantada pelos aguerridos abolicionistas.
A alforria dos escravos tornou-se uma grande festa cívica em que foram libertados 116 escravos. Há menos de um ano antes da província do Ceará, em março de 1884, Acarape aboliu a escravatura em 1º de janeiro  de 1883.
Raul Pompéia, o grande romancista, derrama-se em louvores. "O Acarape começa. Vai nascer o futuro". De volta ao Rio de Janeiro, José do Patrocínio denomina o Ceará "Terra da Luz".
Acarape, 29 de novembro de 2013
Em comemoração dos 140 anos do início da operação da linha férrea que trouxe o Grito da Liberdade.

Um comentário:

ANA ROSEMBERG disse...

Excelente resgate de nossa história. Parabéns!
ana margarida